Transportes

ANTRAM garante que abusos nos sistemas de abastecimento “são sempre exceção e nunca a regra”

transporte de mercadorias

A Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) emitiu esta terça-feira (12 de abril) um comunicado em que garante que os abusos de empresas nos seus sistemas próprios de abastecimento e gestão de combustíveis “são sempre exceção e nunca a regra”.

Estas declarações surgem como resposta ao presidente da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (APETRO), António Comprido, que durante uma intervenção num colóquio sobre Fiscalidade e Energia e a propósito do gasóleo profissional deu a entender que podem existir “algumas histórias relacionadas com más práticas de alguns postos públicos”, referindo que estes são o único garante da inviolabilidade do sistema.

A ANTRAM refere, no entanto, que “está consciente que estas situações de abuso são sempre exceção e nunca a regra” e revela confiar no “sistema de controlo previsto pelo legislador” e que a fiscalização da Autoridade Tributária “será implacável no seu combate a toda e qualquer tentativa de fraude” em todos os tipos de postos.

A associação representante dos transportes públicos rodoviários de mercadorias refere ainda que “só poderá entender o estado de ansiedade do ‘presidente’ da APETRO pelo facto de não se confirmar a exclusividade de abastecimento do gasóleo profissional na esfera de negócio dos seus associados. Refira-se que esta realidade já seria considerada uma excelente oportunidade de incremento, não só do negócio, como das margens de lucro, por via da obrigatoriedade de utilização dos cartões frota, contribuindo, também, para o reforço do poder negocial do setor dos combustíveis face aos seus clientes. Também como consumidores, acreditamos que o mercado, incluindo os dos combustíveis e da energia, carece de fatores que promovam a livre e sã concorrência e não de mecanismos artificiais que o espartilhem ou favoreçam práticas de concentração.”