Transportes

DPD Portugal prevê 2,2 milhões de encomendas entre Black Friday e Natal

DPD Portugal prevê 2,2 milhões de encomendas entre Black Friday e Natal

A DPD Portugal prevê que a atividade, no período entre a Black Friday e o Natal, atinja um volume de encomendas de 2,2 milhões, sendo que o maior número de encomendas diário deverá ser registado dia 2 de dezembro com mais de 150 mil encomendas.

Para responder a este aumento a DPD Portugal está a reforçar as suas equipas, referindo Olivier Establet, presidente da DPD em Portugal, que o grupo prevês contratar “mais 100 colaboradores nas operações (recolha, triagem e entrega de encomendas) e aumentar, no total, em 75 o número de circuitos de distribuição”, Além disso, o operador reforçará, igualmente, o Serviço a Clientes, com um incremento de 40% do número de assistentes.

De ano para ano, o mês de novembro – que se inicia com a Black Friday (29 de novembro), seguida da Cyber Monday (2 de dezembro) e da época de Natal – tem registado significativos aumentos nas encomendas online, superando novos recordes todos os anos. Para o mercado CEP (Courier, Express e Parcel) este período acaba por se estender até meados de janeiro, com as revendas de artigos online e as devoluções.

No global, em 2019, o DPDgroup antecipa um acréscimo de 20% no volume de encomendas, em comparação com os dias úteis e mais de 100% nos peak days.

O DPDgroup espera entregar cerca de 10 milhões de encomendas no dia mais movimentado – 2 de dezembro (Cyber Monday) – e, provavelmente, registar um valor semelhante antes da semana antes do Natal.

O comércio eletrónico continua a revelar que, cada vez mais, é uma das formas escolhidas por milhões de consumidores para fazer compras. Aliás, são esperados cerca de 621 mil milhões de encomendas B2C até ao final deste ano, representando um aumento de 13,6% face ao ano anterior.

Face a este crescimento, o DPDgroup tem tomado medidas específicas para responder às necessidades deste Peak Period. Entre elas estão horários de funcionamento e horários de turnos alargados aos 1.000 hubs e estações; incremento do número de circuitos de distribuição e de condutores para facilitar a procura crescente nas semanas de pico; planeamento de capacidade adicional de ligações internacionais; coordenação aumentada entre os departamentos de Operações e Vendas, com comunicação concertada com os clientes para antecipação do número de encomendas previstas.

No caso de um cenário sem Brexit, que pode acontecer até 31 de janeiro de 2020, o DPDgroup admite “estar pronto para atuar após o período de mais movimento”.