Conferência Logística & Transportes Hoje 2017

Garantir experiência de compra positiva

Conferência Logística e Transportes Hoje 2017  (4)

Para além de eficiência e eficácia, hoje é pedido à supply chain que ajude a fidelizar os clientes, proporcionando-lhes uma experiência de compra positiva. “Hoje a supply chain é preditiva, ajustada ao cliente e tem uma lógica omnicanal”, disse Filipe Santos, Diretor de Logística e Gestão de Terminais da NOS. “A experiência do cliente faz parte da proposta de valor”. Para garantir que a logística não defrauda as expetativas dos clientes, a NOS integrou todas as operações num único armazém, assumiu a digitalização como “enabler e uma forma de servir melhor os clientes” e tornou a experiência do cliente uma prioridade. “Servimos mais de 10 canais, com diferentes necessidades, o que obriga a uma operação flexível”.

Urgência e informação são as palavras-chave na Seur: “os nossos clientes querem rapidez e os destinatários dos nossos clientes, além de rapidez, querem informação quase imediata sobre o trace do envio”, explicou Mónica Rufino, CEO da Seur, que recentemente atingiu o seu máximo de 112.170 entregas num dia. Os desafios levantados pelos clientes não param e se hoje já se fazem entregas em duas horas, já está em cima da mesa a ambição de entregar em apenas uma hora. Para continuar a crescer e “atingir a liderança do setor expresso em Portugal em 2020”, a empresa tem em curso um plano de investimento de 50 milhões de euros a três anos, que passa por melhorar a capilaridade e a preparação dos hubs e apostar fortemente em tecnologia e inovação.

Conferência Logística e Transportes Hoje 2017  (3)

No setor automóvel, há quatro palavras-chave: eletrificação, condução autónoma, serviços de mobilidade e conetividade, garantiu Ricardo Vieira, diretor geral da VW Comercial. A eletrificação é uma necessidade imediata para os construtores, para darem resposta à necessidade de redução de emissões de CO2. “Daqui a quatro ou cinco anos teremos uma venda massificada de comerciais elétricos”, estimou Ricardo Vieira. A maior barreira, a autonomia, está prestes a ser ultrapassada, com os comerciais de mercadorias a atingir em 2021 o dobro da capacidade de carga e autonomia que têm hoje. Na VW, o ano ficou “acima das expetativas” e 2018 deverá ser um novo ano de crescimento.