E-commerce

Sabe como são os e-shoppers europeus?

Sabe como são os e-shoppers europeus?

A Chronopost acaba de divulgar os resultados do ‘E-Shopper Barometer Report de 2017’, um estudo que para além de revelar quais as tendências em e-commerce este ano, faz uma caracterização do e-shopper europeu, revelando quais os seus hábitos de consumo.

“O estudo deste ano sublinha o potencial claro que as compras cross-border representam. Um dos três fatores principais que podem ajudar as compras online cross-border relaciona-se com os comportamentos e requisitos locais, bem como com as necessidades específicas em cada mercado. Plataformas mobile-friendly são o segundo destes fatores, suportados pelo crescimento do m-commerce. E, finalmente mas não menos importante, garantir que a 1ª experiência para os novos e-shoppers assegura a sua fidelização a longo prazo”, refere Jean-Claude Sonet, Marketing Director do DPDgroup.

Entre as principais conclusões do estudo, destaque para:

  • Experiência Online: a grande maioria dos e-shoppers considera a sua mais recente compra online como ‘muito positiva’ e que a sua experiência com a mesma foi ‘fácil’;
  • E-shopping Cross-border: as compras cross-border estão a crescer significativamente, em especial para os produtos originários na China. Ainda há espaço para um crescimento mais acelerado, uma vez que um terço dos e-shoppers estão dispostos a começar a comprar no estrangeiro;
  • M-commerce: os smartphones são cada vez mais usados nas compras online, especialmente entre os compradores mais frequentes e os Millennials;
  • Entrega: o domicílio continua a ser o local mais utilizado para entregas, mas o interesse em alternativas está a aumentar por exemplo por parcel shops, lojas dos retalhistas (Click&collect) e lockers;
  • Estratégias locais: as preferências de modo de entrega e pagamento variam muito de país para país. Para ir ao encontro das expectativas dos seus clientes e desenvolver as atividades de e-commerce, os e-retalhistas devem atuar localmente para maximizarem as oportunidades;
  • Portugal: a moda continua a ser a principal categoria de produtos adquiridos online e offline nos países em análise, representando 14,7% das compras realizadas em Portugal, no ano passado.

“Quando analisamos o comportamento dos utilizadores de internet em Portugal, verificamos que 48% já faz compras online (45% em 2016). Mais de ¼ dos portugueses (25,6%) comprou pelo menos uma vez num website estrangeiro, bastante acima da média europeia de 19,2%. Os 3 países principais onde os e-shoppers portugueses compram continuam a ser o Reino Unido, China e Espanha, embora a China esteja a tornar-se cada vez mais popular e já tenha sido este ano o 1º país em que compraram”, acrescenta Olivier Establet, Presidente da Chronopost.

Uma das novidades no estudo deste ano é a análise do setor alimentar, que tem já cerca de 14% do total de e-shoppers e 30% dos compradores frequentes, que já compraram alimentos frescos e bebidas online.