Tecnologia

Gerir uma refinaria com big data e inteligência artificial: conheça o novo projeto da Repsol e da Google

Gerir uma refinaria com big data e inteligência artificial: conheça o novo projeto da Repsol e da Google

A Repsol e a Google Cloud revelaram esta semana o lançamento de um projeto que pretende otimizar a gestão da refinaria do Complexo Industrial de Tarragona com recurso a big data e a inteligência artificial.

Numa nota enviada às redações, as empresas explicam que o objetivo é” utilizar tecnologia digital de última geração do Google Cloud e os objetivos passam por maximizar a eficiência, tanto no consumo energético como nos restantes recursos, e consequentemente, melhorar o rendimento no funcionamento integral da refinaria.”

No âmbito desta parceria, o Google Cloud irá disponibilizar, à Repsol, as suas soluções de computação, experiência da equipa no projeto e a ferramenta de machine learning Cloud ML Engine, que utilizará o algoritmo de inteligência artificial TensorFlow.

“Até ao momento, as máximas funções integradas aconteceram através da digitalização de uma planta industrial que incluía 30 variáveis. Desta forma, percebemos que se trata de um desafio inédito a nível mundial, dado que esta é uma refinaria que gere 400 variáveis e exige uma capacidade de computação e controlo ingente de dados. O projeto tem potencial para adicionar 30 cêntimos de dólar à margem por barril refinado pela Repsol, o que se traduz em 20 milhões de dólares anuais para a refinaria de Tarragona e uma evolução significativa, no caso de se alcançarem todos os objetivos. A refinaria de Tarragona da Repsol foi a escolhida para desenvolver esta iniciativa já que a configuração em linha do seu esquema produtivo facilita os testes e a consecutiva implementação”, acrescentam ainda a Google a Repsol.

A refinaria do Complexo Industrial de Tarragona tem uma capacidade de destilação de 186 000 barris de petróleo por dia, e em volume, é a terceira mais produtiva no Grupo Repsol, ocupando um total de 500 hectares e processando cerca de 9,5 milhões de toneladas de matéria-prima por ano.