Indústria

Papel de pedra: inovação apresenta-se na Empack

Papel de pedra: inovação apresenta-se na Empack

Foi criada em 2010 em Barcelona e durante esta semana estará na Empack, que decorre na Exponor, para mostrar a sua utilidade. Falamos da EmanaGreen, empresa que desenvolveu um ‘papel de pedra’ que se distingue “ pela sua resistência e dimensão ecológica”.

“A ideia para a criação deste produto surgiu quando Joan Ricart e Ignacio Schmidt, fundadores da empresa, se deixaram inspirar por um trabalho feito em papel mineral, na School of Visual Art of New York. A sua condição ecológica e de resistência motivou-o a contactar o seu inventor, produtor e proprietário da patente, dando origem à EmanaGreen. Hoje, a empresa domina o mercado ibérico e colabora na logística e desenvolvimento de novas aplicações do produto, com parceiros em Inglaterra, Alemanha e França, levando-a a atingir notáveis valores de faturação”, revela a companhia.

O ‘papel de pedra’ é, aos olhos da empresa, “um produto diferenciador, com características distintas e reconhecimento notável, garantindo sempre o cumprimento de valores fortemente ecológicos sem condicionar a adequação do produto aos seus pressupostos”.

Trata-se este papel é elaborado pelo conglomerado do Tawain TLM e reconhecido pela certificação ecológica Cradle to Creadle como “infinitamente reciclável”. A sua produção requer menos 50% de energia em relação ao papel tradicional e não precisa de água nem de madeira para a sua elaboração, nem de qualquer adição de químicos, sendo fabricado com 80% de carbono cálcico e 20% de polietileno de alta densidade.