Mobilidade

Futuro dos automóveis passa pela condução autónoma

Futuro dos automóveis passa pela condução autónoma

Conectividade e condução autónoma: o futuro dos veículos passará por aqui, pelo menos de acordo com a Belron, que recentemente promoveu um encontro em que esteve em reflexão a importância da calibração das câmaras de sistemas ADAS (Sistemas Avançados de Apoio à Condução) que equipam os para-brisas dos veículos atuais.

Chris Davies, Head of technical superiority na Belron Technical, afirmou durante a conferência ‘Looking to the Future’, integrada no evento Best of Belron 2018, que “aumentámos a complexidade dos veículos de forma a termos estradas mais seguras”. O especialista perspetivou a evolução para os carros autónomos, focando os sistemas ADAS.

“Os sistemas ADAS, sistemas de alerta ou de segurança que geralmente funcionam com câmara e/ou radar, são uma realidade em constante expansão, mas que ainda apresentam algumas barreiras que têm de ser superadas. Desde as atitudes dos consumidores, onde se destaca que 33% tem receio de existirem defeitos nestes sistemas, até às questões relacionadas com a falta de harmonização entre a autonomia e a não existência de standards na passagem de informações entre veículos e infraestruturas (V2I)”, explicou.

Já Alexandre da Silva Teixeira, Business Development Manager do CEiiA, deu enfase às cinco grandes tendências do futuro automóvel: a eletrificação dos veículos; os novos materiais de construção dos automóveis, cada vez mais fortes e leves de forma a reduzir o peso do veículo sem sacrificar a segurança dos passageiros; a comunicação entre veículos e infraestruturas; a alteração das formas de mobilidade; e a emergência dos veículos autónomos.

Jorge Muñoz Cardoso, Diretor Geral da Carglass Portugal, referiu, sobre a iniciativa, que “especialistas nacionais e internacionais reuniram-se para abordar as grandes tendências do sector automóvel e perspetivar de que forma os constantes avanços tecnológicos e a inovação de diferentes áreas desta indústria podem impactar o futuro.”