Transportes

Luís Simões testa introdução de preços variáveis nas portagens nacionais

A Luís Simões está a participar num projeto europeu no âmbito do Programa Horizonte 2020 – Optimum – com foco na investigação e desenvolvimento de matérias relacionadas com a otimização dos transportes.

O projeto conta com a participação de 14 empresas de oito países, terá uma duração de aproximadamente três anos e consiste na avaliação da introdução de preços variáveis nas portagens nacionais.

De acordo com a Luís Simões, “o objetivo deste projeto é permitir aos operadores de transporte acederem à informação com antecedência sobre o preço a pagar nas portagens, e assim poderem analisar se o valor é suficientemente apelativo para optarem por uma autoestrada ou por uma estrada nacional.”

Se o resultado dos testes piloto se revelar positivo, “vai ser possível comprovar a hipótese de praticar preços variáveis, fazendo com que seja transferido fluxo de transporte das estradas nacionais para as autoestradas, com vantagens para o operador das estradas nacionais (redução de custos de manutenção), para o pperador das autoestradas (otimização da ocupação) e para o transportador (redução de custos e tempo/conforto envolvido na viagem)”, explica a Luís Simões.

A solução Optimum, que está a ser testada por 14 empresas, utiliza Big Data proporcionado pelos sensores de ocupação das autoestradas, sensores de tráfego das estradas nacionais, informações das redes sociais que podem identificar acidentes ou fluxos anormais de meios a um determinado evento, previsões meteorológicas, entre outras variáveis. Todas estas variáveis são trabalhadas por um algoritmo que gera preços automaticamente e os disponibiliza numa aplicação que está acessível online.

“Este projeto é uma combinação de muita informação. A criação do algoritmo é fruto da investigação da equipa de projeto na qual está integrada: a LS e outros três parceiros portugueses (IP – Infraestruturas de Portugal, TIS.PT, e Uninova), e ainda investigadores de Universidades e parceiros tecnológicos de outros países da União Europeia. Podemos referir que fruto deste projeto foram já publicados papers científicos que atestam o caráter inovador e único deste processo”, afirma Pedro Ventura, Diretor de Processos e Compliance da Luís Simões.