Transportes

Nissan lidera plano de ação para implementação da tecnologia de baterias

Grupo Montepio adota frota 100% verde

Foi revelado no Smart Cities Expo World Congress, em Barcelona, um plano de ação para fornecer soluções para aumentar a aquisição de veículos elétricos (VE) e desbloquear o desenvolvimento dos sistemas de armazenamento de energia e da tecnologia de ligação dos veículos à rede. O objetivo é que a Europa consiga tornar-se livre de carbono até 2050.

O projeto foi detalhado num novo “Livro Branco”, liderado pela Nissan, como parte da Iniciativa Europeia das Cidades Inteligentes, um programa apoiado pela Comissão Europeia que reúne a indústria, as cidades e investigadores.

O Livro Branco aborda o papel central que a tecnologia de baterias irá desempenhar, a necessidade de assegurar que as baterias tenham uma segunda vida enquanto unidades de armazenamento móveis ou estáticas, e soluções para enfrentar os atuais obstáculos ao fornecimento de sistemas de energia, tais como a ligação do automóvel à rede.

Foram feitas várias recomendações práticas para que os decisores políticos e as autoridades repensem a forma como as políticas energéticas e de mobilidade são concebidas e implementadas. Entre as recomendações, sugeriu-se a introdução de incentivos direcionados a modelos de VE de gama média para impulsionar a adesão nos segmentos mais representativos do mercado; a utilização de zonas de emissões reduzidas em áreas urbanas para impulsionar alterações comportamentais; dar o exemplo através das autoridades públicas ao aumentar a quantidade de veículos elétricos nas frotas públicas, incluindo autocarros e táxis; simplificar procedimentos para a instalação de estações de carregamento inteligente; introduzir incentivos fiscais com base no impacto ambiental e na quantidade de energia enviada de volta para a rede a partir de VE; e outros.

“Para fazer face aos desafios que a Europa enfrenta precisamos de repensar de forma fundamental a maneira como as políticas de mobilidade e energéticas são concebidas”, admitiu Friederike Kienitz, vice-presidente de comunicação e assuntos governamentais, externos e legais da Nissan Europa.