Portos

Portos do Continente registam quebra no movimento de mercadorias

Portos do Continente registam quebra no movimento de mercadorias

Os portos do Continente movimentaram, entre janeiro e março deste ano, um total de 21,9 milhões de toneladas de mercadorias, uma quebra 10,9% face ao período homólogo. Os dados divulgados esta segunda-feira (28 de maio) pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) mostram que em março, o movimento de mercadorias dos portos nacionais registou um crescimento de 3%, com o Porto de Aveiro a liderar no volume total de carga movimentada e Setúbal a sagrar-se o ‘campeão’ do volume TEU de contentores, com aumentos de 10,3% e 2,2%, respetivamente.

De acordo com a AMT, “esta variação trimestral homóloga negativa no movimento de mercadorias é o resultado da conjugação de desempenhos distintos dos vários portos, destacando-se pela positiva Aveiro, que registou um crescimento de 10,3%, conferindo-lhe a marca de valor mais elevado de sempre nos primeiros trimestres, sendo negativo em todos os outros portos, com particular destaque para Sines que ‘perde’ -2,5 milhões de toneladas (-18,5%).”

“Comparativamente ao período homólogo, os primeiros três meses do ano de 2018 registaram variações positivas nos Produtos Agrícolas, nos Outros Granéis Sólidos e na Carga Ro-Ro, de 16,1%, 3,7% e 13,3%, respetivamente. Das variações negativas observadas, importa salientar a da Carga Contentorizada, que, representando 35,3% do movimento total, se cifrou em -18,5%, e dos Produtos Petrolíferos, com uma quota de 18,3% do total, se cifrou em -12,2%”, acrescenta ainda a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes.

Importa ainda referir que, segundo os dados divulgados pela AMT, Viana do Castelo, Figueira da Foz, Setúbal e Faro foram os portos que apresentaram o maior perfil ‘exportador’, com um volume de carga embarcada relativamente ao total de 83,3%, 71,4%, 55% e 100%, respetivamente.