Portos

Portos nacionais movimentam “o valor mais elevado de sempre” nos primeiros dez meses do ano

Portos nacionais movimentam “o valor mais elevado de sempre” nos primeiros dez meses do ano

Os portos nacionais registaram nos primeiros dez meses deste ano um volume de carga movimentada de cerca de 81,3 milhões de toneladas, um valor que de acordo com a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) foi “o valor mais elevado de sempre”.

Em comunicado a AMT explica que “o movimento de Contentores registou também a melhor marca de sempre ao ultrapassar o volume de 2,5 milhões de TEU. Sines continua a liderar o movimento portuário, com uma quota de 52,2%, e também o movimento global de contentores, com uma quota de 56,6%.”

Nos primeiros dez meses do ano, os portos comerciais do Continente mantiveram a sua trajetória de crescimento, com um aumento de 5,1% no volume de carga movimentado. “Importa realçar que o maior contributo para o referido desempenho foi dado pelo porto de Lisboa ao registar um acréscimo de 2,1 milhões de toneladas, equivalente a um crescimento de 26%. Nas posições seguintes surgem o porto de Leixões, ao registar um acréscimo de 8,1% (correspondente a +1,2 milhões de toneladas) e uma quota de 20,2%, de Aveiro, com acréscimos de 17% num volume que representa 5,3%, e de Sines, que cresce 0,9% e tem subjacente uma quota de 52,2%.”

Sines mantém a liderança do movimento portuário, representando 52,2% do total (-2,2 pontos percentuais face a igual período de 2016), devido ao seu desempenho no mercado da Carga Contentorizada, Produtos Petrolíferos e Carvão, seguido por Leixões com 20,2%, Lisboa com 12,6% e Setúbal com 6,9%.

“No que respeita ao movimento de Contentores, o conjunto dos portos comerciais do Continente ultrapassaram o volume de 2,5 milhões de TEU nos dez primeiros meses de 2017, estabelecendo assim a nova melhor marca verificada nos períodos homólogos, excedendo a anterior, registada em 2016, em +13,6%. A nível dos portos, idêntica marca foi verificada em Sines e na Figueira da Foz, com variações de +18,3% e 0,7%, respetivamente”, explica ainda a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes.

Nos primeiros 10 meses do ano, o movimento de navios nos portos comerciais do Continente traduziu-se pela realização de 9230 escalas, mais 2,2% do que no período homólogo, a que correspondeu um volume total de arqueação bruta (GT) superior a 174,7 milhões (+4,9% do que o verificado em igual período de 2016) e que constitui a marca mais elevada de sempre nos períodos homólogos.