Veículos

Portugueses lideram ranking de intenções de mudança para veículos elétricos  

Portugueses lideram ranking de intenções de mudança para veículos elétricos  

De acordo com um estudo da LeasePlan, em conjunto com a Ipsos, os condutores portugueses são dos mais positivos em relação aos carros elétricos, com 87% a referirem que têm uma atitude muito positiva quanto à mudança para Veículos Elétricos (VE) e 51% a confirmarem que têm intenção de mudar para um elétrico na compra do próximo veículo.

As principais conclusões da edição de VE e Sustentabilidade do Mobility Monitor deste ano indicam ainda que uma quantidade crescente de entrevistados declarou ter a intenção de fazer um renting de um veículo elétrico. Entre os que planeiam fazer o renting de um carro nos próximos 5 anos, dois em cada cinco (40%) dizem que irão escolher um veículo elétrico. A percentagem de portugueses é ainda superior, 57% a afirmar que pretende fazer um renting de um elétrico na próxima troca de carro.

Esta é uma pesquisa internacional envolvendo mais de 4.000 pessoas, em 16 países diferentes, sobre os grandes problemas enfrentados pelos condutores e pela indústria automóvel em 2019 mostra, também, um aumento na atitude positiva em relação à condução elétrica, com 61% dos entrevistados a indicar que veem a condução elétrica com zero emissões de forma favorável. Quase metade de todos os entrevistados disse que a sua opinião sobre a condução elétrica melhorou favoravelmente nos últimos três anos.

De resto, os benefícios da condução elétrica são cada vez mais claros: os VE contribuem para combater as mudanças climáticas através de menores emissões de CO2 (de acordo com 60% dos que planeiam trocar para um elétrico nos próximos cinco anos); ajudar a melhorar a qualidade do ar nas cidades através de menores emissões de NOX (43%); e ter um custo operacional geral mais baixo (60%). Algo com que os portugueses concordam, 70% compraria um VE por ter menos emissões de CO2 e 50% por emitir menos NOX.

Infraestruturas: uma necessidade urgente para o futuro
Enquanto a maioria das pessoas entrevistadas avalia os VE favoravelmente, as preocupações práticas em relação às infraestruturas apresentam uma barreira efetiva à sua maior entrada.

51% do total de entrevistados que planeiam comprar carro nos próximos 5 anos referiram a insuficiente infraestrutura de carregamento como um impedimento para não escolherem um VE, sendo essa também a justificação de 53% dos portugueses.

Mas também os pontos de carregamento foram alvo de opinião, com 80% dos que referiram que não passariam para elétricos a afirmar que as insuficientes possibilidades de carregamento em áreas públicas são uma preocupação, mas menos de metade vê o carregamento no trabalho como uma preocupação.

Já a autonomia dos veículos elétricos ou a chamada “ansiedade de autonomia”, foi a razão para 45% dizerem que não mudavam para um elétrico, algo que em Portugal representa uma grande preocupação com 67% a identificarem esse motivo para a insegurança na troca.