Logística

DHL Supply Chain usará drones autónomos nos seus armazéns em Espanha

eyesee_dhl

A DHL Supply Chain Iberia anunciou a conclusão do primeiro teste realizado pela empresa com drones autónomos na Espanha. A operação piloto foi realizada no armazém do centro de logística localizado na cidade de Quer (Guadalajara), local alocado à operação do grossista Makro. O objetivo é a incorporação progressiva deste tipo de dispositivos em todos os armazéns no médio prazo.

A DHL Supply Chain, que realizou seu primeiro projeto com drones tripulados, no final de 2017, está atualmente padronizada no modelo de gestão com esses dispositivos na maioria dos seus 53 centros de logística em Espanha. O novo passo na gestão de armazém avança no uso destes drones não tripulados, que gozam de total autonomia durante as operações depois de terem sido previamente programados.

A DHL Supply Chain utilizará os novos drones autónomos para executar, principalmente, tarefas de inventário. Como explicou Jose Luis González, IT Business Partner no setor de retalho da DHL Supply Chain, à imprensa espanhola, “o drone autónomo tem inúmeras vantagens. Uma das mais importantes reside na melhoria da segurança do trabalhador, pois elimina a necessidade do operador realizar o trabalho em altura, porque o dispositivo está preparado para voar até 12,5 metros. Além disso, o dispositivo consiste num sensor anticolisão de 360º capaz de detetar objetos estáticos e móveis, permitindo, por exemplo, realizar inventários em áreas onde há camiões ou outras máquinas em funcionamento. Se surgir um problema, o drone pousa automaticamente com segurança”.

Os drones autónomos também oferecem maior agilidade: a uma velocidade de 30 cm por segundo, o drone verifica em média um suporte a cada 7 segundos, representando mais de 500 códigos de barras por hora. Assim, um inventário de drones é 6 vezes mais rápido que o tradicional. Além disso, sendo um drone autónomo com um plano de voo predefinido, não é necessário ter pessoal treinado para o uso de drones: qualquer operador pode fazer um inventário usando uma aplicação de tablet altamente visual e intuitivo.

Para o teste piloto realizado no centro de logística Quer, a DHL Supply Chain contou com a colaboração do Hardis Group, empresa especializada no desenvolvimento de software e novas tecnologias para a otimização da cadeia de abastecimento e criadora do drone autónomo Eyesee. Esta solução inovadora inclui o drone, que possui três leitores de código de barras e uma câmara HD, além de incorporar uma aplicação para tablets, no qual é possível acompanhar, em tempo real, as tarefas que estão sendo realizadas e visualizadas com total nitidez das imagens transmitidas pelo próprio drone.

Além disso, há um conjunto de aplicações na cloud com múltiplas funções, como mapeamento de armazém, tratamento e análise de dados e imagens, geração de relatórios ou controlo da frota de drones, entre outros. Essas aplicações permitem que a inteligência artificial seja aplicada ao inventário por drone, que já pode distinguir entre suportes (por exemplo, paletes de cores ou materiais diferentes) ou detetar suportes danificados (por exemplo, uma caixa triturada ou uma palete partida) graças à visão de análise por computador e imagem.