Quantcast
Transportes

Carga contentorizada cai mais de 600 mil toneladas de janeiro a julho

Porto de Aveiro

De acordo com os dados mais recentes da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), a movimentação de carga contentorizada nos portos de Portugal Continental registou quebras nos primeiros sete meses de 2020 – muito pela retração da atividade económica motivada pela pandemia de covid-19 –, com uma redução de -603,9 mil toneladas. Esta redução é, contudo, inferior à registada no mês anterior em cerca de 250 mt, explicada quase exclusivamente pelo comportamento do porto de Lisboa, que vê o seu volume reduzido em 1,2 milhões de toneladas (-43,6%), “comportamento esse que não pode ser dissociado do clima de perturbação laboral existente, decorrente dos persistentes pré-avisos de greve dos trabalhadores portuários”, admite a AMT.

Acresce referir que Leixões regista, em julho a terceira variação mensal negativa consecutiva, enquanto Setúbal e Sines registam respetivamente a quinta e a quarta variação mensal positiva consecutiva, e ainda, assinalar que o mês de julho regista globalmente uma variação positiva (+9,5%), após dois meses de comportamento negativo.

No que respeita às restantes tipologias de carga, que no seu conjunto representam 28,1% da tonelagem total movimentada, importa destacar, pela positiva, a dos Minérios, por ser a única a apresentar um registo positivo na variação do seu volume portuário no período janeiro-julho de 2020, de +43,2 mt (+6,5%).

Em termos globais, sublinha-se que a variação homóloga negativa observada no mês de julho (-8,6%), tem subjacente variações positivas registadas na Carga Contentorizada, Carga Fracionada e Outros Granéis Líquidos, anuladas por variações negativas registadas nos outros mercados de carga, sendo ligeiramente menos intensa do que a variação homóloga do Índice de Produção Industrial publicado pelo INE, cujo valor se cifra em -9,6%, recuperando cinco pontos percentuais ao seu valor apurado em junho.

Mob Lab Congress 2020