Quantcast
Operadores Logísticos

Dachser faz últimos preparativos para o Brexit

Independentemente dos acordos entre a União Europeia e o Reino Unido a propósito do Brexit, o dia 1 de janeiro de 2021 marcará “um corte profundo” no movimento de mercadorias de e para a Grã-Bretanha, de acordo com a transportadora Dachser.

Steffen Wiese, head of sales, european logistics, north central Europe da Dachser, garante que a empresa “está preparada para todas as eventualidades”, apesar de o desalfandegamento no pós-Brexit tornar o transporte “muito mais complicado, caro e demorado”.

Uma vez que a Dachser já se preparou para dar resposta a todos os processos, “a responsabilidade está, agora, do lado dos remetentes”, que poderão encontrar, no site da empresa, uma lista de todos os elementos de que devem estar cientes. O responsável da multinacional de logística afirma, no entanto, que “os contactos locais da Dachser estão sempre prontos para esclarecer quaisquer dúvidas”.

Dachser reforça sinergias internas

A Dachser está a preparar-se para o Brexit há vários anos, tendo formado uma equipa interna de projetos composta por especialistas de todas as áreas da empresa. “O trabalho desta equipa é estudar todos os aspetos relacionados com o Brexit – desde o despacho aduaneiro até às TI (tecnologias de informação), passando pela monitorização de volumes de carga, rotas de tráfego e gestão de equipas e comunicações”, lê-se em comunicado.

“Para nos prepararmos para todas as eventualidades, fizemos um grande investimento na criação de soluções de software, para garantir que os processos alfandegários sejam realizados com eficiência”, refere Steffen Wiese.

Além de adicionar recursos à infraestrutura de TI, a empresa reforçou as equipas das filiais da Dachser no Reino Unido e na Irlanda, nomeadamente com profissionais preparados para tratar de questões alfandegárias. Além disso, a multinacional terá uma equipa interna especializada na gestão dos diferentes sistemas, com o objetivo de conter custos adicionais e, em conjunto com as diferentes filiais, manter a sinergia operacional.

No mesmo comunicado, a empresa sublinha que possui “o estatuto de Authorised Economic Operator (AEO) no Reino Unido e em vários países da União Europeia, assegurando que as mercadorias sejam libertadas da alfândega o mais rapidamente possível”.