Quantcast
Transportes

DPD Portugal renova a frota operacional com 276 Peugeot Boxer

DPD_Peugeot_Boxer

A DPD Portugal vai renovar a sua frota operacional com 276 novos Peugeot Boxer, num negócio cujo valor supera os 10,5 milhões de euros.

A opção da DPD Portugal pela nova geração do Peugeot Boxer recaiu em 260 unidades da versão de maiores dimensões 335 L3H3 Pro e 16 unidades da versão 333 L2H2 Pro, ambas equipadas com o motor 2.2 BlueHDi de 120 cv, que cumpre as mais recentes normas €6.2 e está equipado com a tecnologia Stop & Start.

 

Este modelo concebido especialmente para responder às necessidades em termos de transporte de mercadorias ou de objetos volumosos de profissionais e empresas, destaca-se por otimizar o custo total de utilização (entre os mais baixos do mercado), tendo a Marca mobilizado os seus recursos para alcançar os melhores resultados de conceção, qualidade, durabilidade e eficiência do modelo, de forma a maximizar o seu valor residual e reduzir os custos de operação. Ao mesmo tempo que disponibiliza um modelo com elevado índice tecnológico e de conforto.

O negócio surge numa altura em que o mercado nacional de Veículos Comerciais Ligeiros (VCL) registou uma quebra superior a 40% no passado mês de agosto, sendo essa redução de 37% no acumulado do ano 2020. Este acordo decorre da vitória da Peugeot Portugal no concurso público levado a cabo pela DPD, e é válido para os anos de 2020 e 2021, ao longo dos quais se prevê a entrega, faseada e até dezembro do próximo ano, do lote total de 276 unidades do furgão Peugeot Boxer.

 

Segundo Rui Nobre, diretor-geral adjunto de Operações da DPD Portugal “a escolha da solução da Peugeot por parte da DPD teve em conta critérios de racionalidade económica e ambiental, nomeadamente os consumos e as emissões. Prevê-se por isso que, comparativamente à nossa anterior frota, as reduções de consumos seja na ordem dos 10% ao ano, levando a uma correspondente redução em termos de emissões de CO2, medida esta que está completamente alinhada com a nossa Política de desenvolvimento sustentável.”

Já do lado da Peugeot Portugal, João Mendes, Brand Manager da marca, refere que “dadas as suas características, este negócio revela-se muito importante, não apenas para a Peugeot Portugal, mas para a própria economia e mercado nacional”.

 

O responsável da marca do “Leão” salienta ainda a importância deste negócio para a Peugeot, já que “é a primeira vez que estabelecemos uma parceria com a DPD Portugal, confirmando a nossa capacidade de oferecer soluções adequadas aos grandes operadores, cumprindo na íntegra com os cada vez mais exigentes cadernos de encargos, as exigências de operação de frotas, e as especificidades de negócio, como a que, neste caso, envolve a DPD”.

Além disso, João Mendes conclui que, dada a atual situação económica que se vive no país e no setor automóvel em particular, a DPD e a Peugeot, ao avançarem com este negócio, “dão um contributo muito relevante para a dinâmica do mercado”.