Transportes

Investimento de 16,8 milhões de euros no ramal ferroviário do Porto de Sines

Ministro_Infraestruturas_ramal_Sines

O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, visitou a requalificação do ramal ferroviário do Porto de Sines, obra com um valor global de investimento previsto de 16,8 milhões de euros, sendo cerca de 8,4 milhões de euros desenvolvido pela APS e os restantes 8,4 milhões de euros da responsabilidade da PSA Sines.

A visita do ministro realizada na área intervencionada – Terminal XXI (contentores), no Porto de Sines – foi acompanhada pelo Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, e o Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Alberto Souto de Miranda.

O projeto de requalificação do ramal ferroviário do porto de Sines, integra um conjunto de projetos estruturantes, em curso, na sua área de expansão leste, que visa dotar o Terminal de Contentores de Sines (Terminal XXI), incluindo já a sua 3.ª fase de ampliação em curso, e o futuro Terminal Vasco da Gama (TVG), de melhores condições de operação e manobra e de aumento da capacidade instalada devido ao previsível crescimento de carga contentorizada neste modo de transporte.

Com as obras realizadas, a capacidade atual de movimentação de 24 comboios/dia, de 600 metros de comprimento cada, será aumentada para 36 comboios/dia, de 750 metros cada, que corresponde a um incremento de duplicação da capacidade atual do ramal.

Este projeto de ampliação e modernização do ramal ferroviário do porto de Sines, inclui a ampliação da plataforma ferroviária de carga/descarga do Terminal XXI, com duas novas linhas com capacidade de receção de composições de 750 metros de comprimento (obra já concluída e executada pela PSA Sines), assim como a introdução de melhorias nos sistemas de via, catenária e de sinalização, de forma a permitir uma gestão logística mais eficiente e segura.

Para além disso será também realizado o redimensionamento do layout do atual ramal, nomeadamente com a construção de uma 4.ª linha, e de uma nova linha de reversão adequada à dimensão destas composições, permitindo-se com isso, no futuro, a ligação dos dois terminais (TXXI/TGV).

Futuramente, está prevista a instalação de uma 5.ª linha de resguardo para aumento da capacidade da manobra, bem como a ligação ao Terminal Vasco da Gama, em redundância de acessos, com a construção de um 2.º acesso.

O projeto prevê ainda a automação da manobra, pela instalação de sinalização, criando-se a entidade “Gestor de Parque” (de manobras), sendo a APS a primeira entidade portuária nacional a implementar tal forma de gestão da operação.