Quantcast
Operadores Logísticos

Luís Simões ‘usa’ pandemia para acelerar transição digital da empresa

Luis simões logistica e transportes hoje

A operadora logística Luís Simões anunciou que, após uma forte aposta na automatização dos seus centros logísticos, vai acelerar a transformação digital das suas operações de negócio e suporte. Em comunicado, a empresa anuncia que os processos realizados em papel, das chamadas telefónicas e outros métodos analógicos “são coisa do passado” na sua atividade.

“Os anos 2020 e 2021, marcados pela pandemia e pela adoção massiva e continuada do teletrabalho, criaram o cenário ideal para reforçarmos a nossa digitalização,” destaca o Diretor de Processos e Compliance da Luís Simões, Pedro Ventura.  “Integrámos novas capacidades digitais nas nossas operações, no serviço ao cliente e também nos processos internos”, acrescentou.

Para alcançar estes objetivos, a empresa adotou medidas como:

  • Caixas de correio centralizadas para gerir pedidos externos – Os emails são reencaminhados a um primeiro grupo de front office, que pode resolver o assunto ou reenvia-o para diferentes áreas de back office. “Num ano foi possível responder a uma média de 400 solicitações diárias (e-mails, chamadas e outros processos analógicos) através de processos automatizados que, em breve, permitirão aumentar para as 2.000 solicitações diárias”, informa a Luís Simões;
  • Guias de remessa digitais –  O processo sistematiza em formato digital todas as guias de remessa emitidas pelos clientes da LS em diversos formatos, possibilitando o seguimento da mercadoria a partir do momento em que é carregada num veículo, em qualquer dos centros de operações da Luís Simões. “Com este sistema foi possível poupar mais de 80 horas de trabalho diárias”, revela a empresa;
  • e-CMR – Ainda em fase de implementação, o processo permite a emissão do CMR em formato digital, o que pode ser feito pelo operador logístico, pela transportadora, pelo cliente e pelo condutor.