Transportes

Movimentação de mercadorias em queda exceto no aéreo

Movimentação de mercadorias em queda exceto no aéreo

Com exceção do transporte aéreo (+17,4%, após +9,1% no 2.ºT), verificaram-se reduções na movimentação de mercadorias em vários modos de transporte: -12,9% nos portos marítimos nacionais (-9,2% no 2ºT), -15,9% por ferrovia (-16,2% no trimestre anterior) e -5,8% por via rodoviária (-3,5% no trimestre precedente).

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), referente ao 3.º trimestre de 2019, mostram que os portos marítimos nacionais registaram a entrada de 3.909 embarcações no 3.º trimestre de 2019, o que correspondeu a um aumento de 1,1%, em relação ao trimestre homólogo. A dimensão das embarcações entradas decresceu 3,6% (-6% no 2.ºT), atingindo 60,3 milhões de GT.

O movimento de mercadorias nos portos situou-se em 20,6 milhões de toneladas, refletindo uma variação homóloga de -12,9% (-9,2% no 2.ºT).

Sines, com 8,6 milhões de toneladas de mercadorias carregadas e descarregadas (41,8% do total nacional), registou uma diminuição de 28,5% (após redução de 12,9% no trimestre anterior).

O porto de Leixões aumentou 11,9% (-10,4% no 2.ºT) atingindo 4,8 milhões de toneladas e um peso de 23,5% no total nacional, enquanto Lisboa movimentou 2,8 milhões de toneladas (+3,1%; -8,5% no 2.ºT) e alcançou uma quota de 13,5%, no total nacional.

Os portos de Setúbal e Aveiro registaram decréscimos de 7,5% e 4,5%, após as subidas de 2,8% e 6% registadas no trimestre anterior.

No 3.º trimestre de 2019 foram carregadas 7,5 milhões de toneladas de mercadorias, representando um decréscimo de 19% (-12,4% no 2.ºT), resultando principalmente da redução registada no porto de Sines (-33,9% face ao 2.ºT).

As mercadorias descarregadas (13,1 milhões de toneladas) diminuíram, mas menos acentuadamente (-9%), refletindo a diminuição registada em Sines (-25,3%), apesar dos aumentos apresentados por Leixões (+20,3%) e Lisboa (+6,7%).

O tráfego internacional, com 17,5 milhões de toneladas de mercadorias transportadas (-13,2%), representou 84,9% do total (85,3% no 2.ºT). O tráfego nacional diminuiu 10,9% (-6,9% no 2.ºT), alcançando 3,1 milhões de toneladas.

Transporte rodoviário de mercadorias continuou a decrescer
O transporte rodoviário de mercadorias registou uma redução mais acentuada no 3.º trimestre em relação ao trimestre homólogo (-5,8%, -3,5% no 2.ºT) e atingiu 35,9 milhões de toneladas. O transporte internacional sofreu uma redução mais ligeira do que no trimestre anterior (-14,1%, -19,8% no 2.ºT), enquanto o transporte nacional registou um decréscimo mais acentuado (-4,4%, -0,1% no 2.ºT).

O volume de transporte, medido em toneladas-km, contraiu 6% tendo passado de 7,9 mil milhões para 7,1 mil milhões (-7,3% no 2.ºT). O transporte nacional diminuiu 2,5% e o internacional diminuiu 7,8%, registando no 3.º trimestre, um valor de 2,5 mil milhões e 4,6 mil milhões de toneladas-km, respetivamente.