Quantcast
Transportes

Negócio Expresso e Encomendas impulsiona resultados dos CTT

CTT_Expresso_Armazem

Os CTT – Correios de Portugal voltaram aos lucros este trimestre, depois de um primeiro semestre com prejuízo, indicando um resultado líquido de 4,3 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano.

Além deste regresso aos resultados positivos, os CTT registaram o melhor trimestre de sempre na unidade de negócio Expresso e Encomendas, com os rendimentos operacionais a crescer 24,5%, fruto do crescimento da atividade de e-commerce no atual contexto de pandemia covid-19 e da forte oferta comercial voltada para o digital que os CTT lançaram nos últimos meses.

Assim, na unidade de negócios de Expresso e Encomendas os rendimentos operacionais atingiram 131,5 milhões de euros até setembro, um crescimento de 19,5% face ao período homólogo de 2019. No terceiro trimestre atingiram 46,4 milhões de euros (+24,5% face ao homólogo), evidenciando a continuidade do crescimento verificado no segundo trimestre de 2020.

Com o primeiro semestre a ser marcado pela pandemia de covid-19 e pelos efeitos das restrições impostas à maior parte dos setores da economia, que tiveram um forte impacto no perfil de envios, os CTT salientam que, neste período, “verificou-se uma redução do tráfego B2B e assistiu-se a um forte crescimento da atividade de e-commerce e, portanto, do tráfego B2C. No terceiro trimestre manteve-se o forte ritmo de atividade de e-commerce e verificou-se uma recuperação no negócio B2B”.

Os rendimentos Expresso e Encomendas em Portugal situaram-se em 81,2 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2020, 15,1% acima do período homólogo de 2019, enquanto os rendimentos obtidos no terceiro trimestre, de 29,4 milhões de euros, evidenciam um crescimento de 19,5% face ao mesmo trimestre do exercício anterior.

Nos primeiros nove meses de 2020 o tráfego CEP em Portugal totalizou 17,8 milhões de objetos, mais 34,5% do que no período homólogo de 2019. A contribuir para este recorde de atividade está o impulso do e‑commerce, com um crescimento muito relevante nos setores da alimentação, desporto e lazer, educação e cultura e eletrónica de consumo.

Os rendimentos de Expresso e Encomendas em Espanha situaram-se em 48,2 milhões de euros até setembro, 27,4% acima do período homólogo de 2019. No terceiro trimestre atingiram 16,3 milhões de euros, representando mais 4,4 milhões de euros, +36,7% do que no terceiro trimestre de 2019.

O tráfego em Espanha totalizou 16,7 milhões de objetos nos primeiros nove meses de 2020, crescendo 44,0% face ao período homólogo de 2019. Esta evolução é reflexo do aumento do e-commerce e do esforço comercial que resultou em acordos com grandes e-tailers globais que começaram a operar no envio de encomendas urgentes para toda a Península Ibérica.

A empresa continua com o seu plano de reestruturação para, como salienta, “se posicionar como operador de referência no envio de encomendas urgentes no mercado ibérico”, tendo investido em máquinas de tratamento e triagem para os seus principais centros em Espanha – Madrid e Barcelona -, adquirido dispositivos móveis e um novo software de inteligência artificial para otimizar o dia-a-dia dos distribuidores, a sua carga e rotas, contando já com numerosos veículos a operar desta forma, com vista a melhorar a qualidade de serviço. Este investimento ronda os 12 milhões de euros.