Quantcast
Transporte

Portugal movimenta menos 3,4% de mercadorias em 2019

Portugal movimenta menos 3,4% de mercadorias em 2019

No ano de 2019, foram movimentados, em Portugal, cerca de 243,9 milhões de toneladas de mercadorias, um valor inferior em -3,4% ao volume registado no ano anterior, avançam os dados apurados pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), de acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a PORDATA e os operadores ferroviários.

Esta informação engloba os diversos modos e para os diversos tipos e natureza de mercadorias transportadas no ano de 2019 (nomeadamente marítimo, rodoviário, ferroviário e aéreo). Os dados mostram que o tráfego nacional foi responsável por 60,4%, correspondente a 147,3 milhões de toneladas, 90,8% das quais foram processadas por modo rodoviário. A grande maioria do transporte de mercadorias realizada por modo ferroviário realiza-se também a nível nacional, tendo-se situado no ano em análise na casa dos 79,2%, após uma quebra de -13,2% face ao volume apurado em 2018.

No âmbito do comércio internacional, foi realizado, no ano 2019, um tráfego de mercadorias de cerca de 102 milhões de toneladas, equivalente a 140,21 mil milhões de euros. O modo preferencial de transporte de mercadorias foi o marítimo, que registou, em 2019, um volume de 72,7 milhões de toneladas, correspondente a uma quota de 75,2%. Ainda neste mercado, o modo rodoviário representou uma quota de 22,6%, muito por efeito das trocas comerciais com a Espanha. O modo aéreo registou no tráfego internacional 87,2%, refletindo um acréscimo de +11,7%.

No comércio internacional efetuado em 2019, independentemente do modo de transporte utilizado (que inclui, nomeadamente, ‘instalações de transportes fixas’ e ‘propulsão própria’), o tráfego de importação, que representou globalmente 61,5% do peso das mercadorias transportadas e 57,3% do seu valor, foi maioritariamente realizado em modo marítimo, que representou uma quota de 60,9% (-0,4% face ao ano de 2018) na dimensão peso e de 26,1% na dimensão valor.

Já o transporte rodoviário, na dimensão valor, representou uma quota de 58,2% (+0,6% face a 2018), sendo de 31,8% em peso.

Os modos ferroviário e aéreo detêm quotas residuais respetivas de 1% e de 0,1% da tonelagem transportada e de 0,6% e de 3,5%, cabendo aos outros modos ou a modos não discriminados, quotas de 6,2% e de 11,7%.

No tocante às exportações, o modo marítimo foi responsável por 49,5% do peso das mercadorias transportadas e 30,1% do respetivo valor, tendo cabido ao rodoviário respetivamente quotas de 42% e de 59,2%.

Mob Lab Congress 2020