Quantcast
Inteligência Artificial

Progresso tecnológico como fator de melhoria do mundo? 72% acredita que sim

O Bosch Tech Compass, um estudo global sobre o que as pessoas pensam e sentem sobre a tecnologia, revelou que a grande maioria dos inquiridos (72%) acredita que o progresso tecnológico torna o mundo um lugar melhor. Em comunicado, a Bosch explica que este é um estudo representativo da população em geral realizado na China, Alemanha, Índia, Reino Unido e Estados Unidos.

Quanto ao tipo de desafio, 83% concorda que a tecnologia deve ser mais focada em enfrentar os principais desafios do nosso tempo em vez de responder às necessidades individuais. Segundo os resultados deste inquérito, mais de três em cada quatro entrevistados em todo o mundo veem o progresso tecnológico como a chave para o combate às mudanças climáticas.

 

Enquanto a maioria dos entrevistados chineses (83%) e indianos (77%) estão mais confiantes de que a tecnologia está a ser utilizada o suficiente para resolver os principais problemas do nosso tempo, nos EUA (47%), no Reino Unido (37%) e na Alemanha (29%) apenas uma minoria de pessoas acredita nisso.

Outras conclusões:

  • Tecnologias verdes, como a engenharia climática, a biotecnologia e o hidrogénio, como tendo impacto positivo – Alemanha, Reino Unido, EUA;
  • Tecnologias inteligentes e conectadas, como a IA e o 5G, como tendo impacto positivo – China e a Índia;
  • Cerca de um terço de todos os inquiridos nos EUA e na Europa dizem ver a IA como a maior ameaça tecnológica;

Mobilidade no futuro: condução ou teletransporte?

Quando questionados sobre como prefeririam deslocar-se no futuro – independentemente da viabilidade técnica – os entrevistados alemães mostraram menos reservas. 39% escolheriam o teletransporte como meio de mobilidade preferido, ficando mesmo à frente dos chineses com 34%. O teletransporte tem também alguns fãs no Reino Unido (27%), nos EUA (20%cento) e na Índia (10%). No geral, em primeiro lugar, com 56% surge o automóvel controlado por humanos, seguido por aviões (40%) e comboios (32%).