Transportes

Rendimentos operacionais Expresso&Encomendas dos CTT crescem 2,4%

CTT

A operação Expresso & Encomendas dos CTT registou, em 2019, rendimentos operacionais de 152,4 milhões de euros, correspondendo a uma subida de 2,4% face ao exercício de 2018.

Ao longo de 2019 os CTT continuaram a estratégia de desenvolvimento do mercado B2C em Portugal e da promoção dos e-sellers portugueses com o lançamento do Marketplace Dott e da plataforma de e-fulfilment “CTT Logística”.

Perto do final do ano, mais concretamente, a 20 de dezembro de 2019 a Tourline foi integrada na empresa CTT Expresso como uma sucursal em Espanha, com uma nova equipa de gestão que está focada em melhorar o seu modelo operativo, para garantir mais eficiência e melhor qualidade de serviço, num mercado onde o e-commerce é cada vez mais representativo, e retomar o crescimento para garantir escala e rentabilidade, posicionando-se como um operador de referência ibérico, especialmente nos fluxos transfronteiriços.

Globalmente, a operação dos CTT obteve rendimentos operacionais de 740,3 milhões de euros, correspondendo a um aumento de 4,6% em 2019 face a 2018. Já os lucros dos CTT situaram-se nos 29,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 35,8% face a 2018, em resultado do aumento dos resultados operacionais da empresa.

Para João Bento, CEO dos CTT, estes resultados “confirmam que os CTT estão a seguir a estratégia acertada, diversificando as áreas de negócio e sem perder de vista o correio tradicional”.

Em termos de investimento, este situou-se nos 45,4 milhões de euros, mais 48,2% do que o realizado em 2018, refletindo a implementação do Plano de Modernização e Investimento que irá potenciar a instalação de novas e mais eficientes máquinas de separação e a crescente entrada em funcionamento de plataformas multiproduto que permitirão consolidar as sinergias operacionais de um operador integrado.

Salvo os impactos que resultarem da crise associada à pandemia em curso, ainda de difícil estimativa, os CTT “deverão apresentar um crescimento entre 4% e 6% dos rendimentos operacionais, o que em conjunto com a implementação de medidas de eficiência se deverá traduzir num crescimento de um dígito elevado do EBIT e de um EBITDA superior ou igual a 110 milhões de euros em 2020”, revela a empresa.

Para o negócio de Expresso & Encomendas, em Portugal, é projetado um crescimento de dois dígitos.