Indústria

Galp alarga portefólio de negócios para setor das energias limpas

Resultados operacionais da Galp caem e empresa ajusta plano de investimento

A Galp está a alargar o seu portefólio de negócios ao setor das energias limpas e encontra-se a promover a sua integração na cadeia de valor da eletricidade, com base na geração renovável, tomando o seu lugar como parte da transição para um mundo elétrico, com menor intensidade carbónica.

A equipa de gestão da Galp apresentou no seu Capital Markets Day 2020 a atualização da execução e estratégia da empresa e os resultados de desempenho operacional e financeiro referentes a 2019. Atualmente, a empresa está a trabalhar na otimização e transformação das suas unidades de negócio, devendo lançar novos produtos, além de transformar os negócios tradicionais.

A Galp reestruturou as suas unidades de negócio de forma a optimizar os negócios, segmentando-os em função da sua identidade, objetivos e perfil de risco. Assim, o reporte financeiro será ajustado a partir de 2020.

A nova estrutura consiste em quatro unidades de negócio: Upstream (inalterada); Refinação & Midstream (incorpora os negócios de refinação e logística, as atividades de aprovisionamento e trading de oil, gás e eletricidade); Unidade Comercial (integra oferta de produtos e serviços da Galp para todos os clientes); Unidade de Renováveis & Novos Negócios.

“A Galp compromete-se a desenvolver um portefólio de geração de eletricidade de fonte renovável, com 10 a 15% do investimento do grupo a ser alocado a renováveis e a capturar oportunidades de novos negócios que possam ter uma escala significativa. Estes investimentos representam uma cobertura natural às atividades ibéricas da companhia, alinhados com a tendência de eletrificação global e com o caminho de transição para reduzir a sua intensidade carbónica”, referem em comunicado enviado à LOGÍSTICA & TRANSPORTES HOJE.

A petrolífera está a alargar o seu portefólio de negócios para o setor das energias limpas e a aquisição da Zero-E ao grupo espanhol ACS.

A empresa adquiriu, recentemente, um conjunto de projetos solares PV em Espanha, que ascende a um total de 2,9 GW, com ligação à rede garantida e 914 MW já em operação. Com os restantes projetos solares em desenvolvimento na Península Ibérica, a capacidade instalada total da Galp deverá atingir os 3,3 GW até 2023. Os retornos acionistas esperados deste portefólio situam-se acima dos 10%.

Ainda que a capacidade instalada nos próximos anos tenha como base o portefólio existente, a ambição da Galp passa por aumentar a sua presença nas renováveis e alcançar c.10 GW até 2030, com foco na Península Ibérica, mas analisando oportunidades noutras geografias, respeitando os seus critérios de investimento.