Opinião

A formação em Logística como vantagem competitiva nas empresas

A formação em Logística como vantagem competitiva nas empresas

Num contexto de globalização, as empresas tendem a competir numa perspetiva mundial de Cadeia de Valor, suportada em estratégias de menor custo e/ou diferenciação, em que são da maior relevância os ganhos de produtividade e a flexibilidade.

As grandes exigências de um mercado cada vez mais global e competitivo, onde a externalização das atividades de produção, armazenamento e transporte é cada vez maior, e onde a gestão do fluxo de informação é imprescindível à atividade das empresas, exigem eficiência na cadeia logística criando valor e substituindo a visão da logística como um custo para uma Visão de Diferenciação Positiva.

Os gestores têm que saber dar as melhores respostas às exigências crescentes dos clientes, em termos de prazos de entrega, disponibilidade de produto, custo da posse de stocks e fiabilidade das operações. Numa perspetiva estratégica, impõe-se fazer uma avaliação conjunta de processos e tomar as decisões que maximizam os benefícios no seu todo e não apenas em cada uma das partes (análise dos trade-offs).

Cada vez mais se exige que o cliente receba o material certo, no tempo certo, no local certo e na condição certa, pelo que uma das maiores missões dos gestores passa por coordenar eficazmente todas as atividades que contribuem de forma significativa para um melhor serviço ao cliente e ao mais baixo custo, proporcionando um aumento da competitividade das mesmas.

Estes aspetos levantam a pertinência na especialização em questões de natureza logística e de comércio nacional e internacional, cada vez mais complexas, a que só o Ensino Superior poderá dar resposta. A contratação de quadros com uma formação superior na área da Logística constitui uma mais-valia para qualquer organização independentemente da dimensão ou setor de atividade.

Mesmo as pequenas e médias empresas lidam com a procura de fornecedores, com o transporte de mercadorias, a distribuição dos seus produtos, stocks e armazenamento de matérias-primas, produtos em vias de fabrico e produto final. Todos os empresários lidam com logística inversa, aquando da mercadoria devolvida ou reutilização de materiais.

Uma boa formação em Distribuição e Logística, ao nível superior, poderá dar respostas a estas necessidades. Para isso, o plano de estudos deverá englobar temas como a gestão de materiais, armazéns e stocks, a gestão de transportes, a logística global, a gestão estratégica de compras e fornecedores, a gestão de projetos e operações, sistemas de informação e informática e alguns conceitos na área financeira e de marketing. Será indispensável o conhecimento de ferramentas de gestão ao longo da formação para que os estudantes, futuros profissionais na área da Logística, possam levar conhecimento e acrescentar valor para as empresas. A participação e a organização de eventos no âmbito da sua formação é também um aspeto a ser valorizado na formação académica.

Na Escola Superior de Ciências Empresarias em Valença, houve um retomar das Jornadas de Logística de forma a complementar a formação em sala de aula, com o testemunho de profissionais da logística e o envolvimento de empresas parceiras da região. Desta forma, não só os alunos puderam envolver-se na organização das jornadas desenvolvendo novas competências, como puderam aumentar o seu crescimento enquanto pessoas e futuros profissionais. Trabalho em equipa, partilha de ideias e fomento da criatividade para encontrar soluções, são competências imprescindíveis para um profissional de logística no futuro.

Ângela Silva & Helena Sofia Rodrigues, Docentes da Escola Superior de Ciências Empresariais, Instituto Politécnico de Viana do Castelo