empresas de transportes

“A capacidade de responder à crescente procura dos clientes por maior velocidade e flexibilidade na entrega é um desafio contínuo”

“A capacidade de responder à crescente procura dos clientes por maior velocidade e flexibilidade na entrega é um desafio contínuo”

A Seur Portugal viveu o melhor ano de sempre, em termos de faturação em 2016. O presente ano está em linha com o crescimento sentido no primeiro trimestre. Entrevistámos Mónica Rufino, responsável da Seur em Portugal que fala dos desafios presentes e futuros para a sua empresa.

Como está a correr o ano de 2017?
O crescimento no primeiro trimestre de 2017 dá continuidade ao sucesso registado em 2016, o melhor ano de sempre do DPDgroup, e permite-nos continuar focados no objetivo de atingir a liderança de mercado até 2020. No ano passado, a transação de encomendas realizada pela Seur no mercado ibérico superou os 3,26 milhões, especialmente impulsionado pela evolução do número de encomendas enviadas para Portugal, que aumentou 9,6%. Parte do DPDgroup, a Seur contribuiu para o crescimento global de 12% das vendas do grupo francês no primeiro trimestre de 2017, aumentando as previsões de vendas para 62,5 M€ em 2017.
A Seur, com mais de 70 anos de experiência no mercado de transporte urgente em Portugal e Espanha, assume como principal eixo de negócio as transações ibéricas. A estrutura da empresa é composta por 350 colaboradores, 8 delegações, 2 hubs, 190 veículos e 5 câmaras refrigeradoras.

Quando comparado com 2016 quais têm sido as maiores diferenças?
Na minha opinião, as grandes diferenças assentam numa gestão unificada implementada na Seur em Portugal, depois do grupo GeoPost ter adquirido a Lordtrans, franchisada da marca Seur para a zona Norte de Portugal. A Lordtrans detém as unidades de negócio do Porto, Coimbra e Guarda e conta com uma equipa de 150 pessoas e 90 viaturas de distribuição.
Esta aquisição consolidou a posição que a GeoPost ocupa na SEUR, passando a deter 87% do operador, e reforçou a presença do grupo francês em Portugal, onde já é detentor da Chronopost. As duas marcas passaram a ter uma só gestão, ficando Olivier Establet como CEO.
Este negócio visa ainda o fortalecimento do grupo no mercado ibérico, já que a Chronopost é especialista na atividade doméstica B2B (Business to Business) e B2C (Business to Consumer) e a SEUR opera igualmente no mercado doméstico e lidera as transações entre Portugal e Espanha.

Quais as dificuldades do negócio em Portugal (e também em Espanha)?
A capacidade de responder à crescente procura dos clientes por maior velocidade e flexibilidade na entrega é um desafio contínuo para a Seur, não só no mercado português como também no mercado espanhol. Para atingir esse objetivo é essencial desenvolver uma estratégia de inovação constante, tecnicamente e em termos de desenvolvimento de soluções para clientes. É por isso que a SEUR está focada em antecipar soluções que tornam o mundo dos clientes mais próximo deles, como o SEUR Predict (que permite que o cliente seja informado sobre o período durante o qual a entrega será feita) e o Live Tracking (para rastrear um pacote e seguir a rota até a entrega).
Estamos sempre atentos às grandes oportunidades de negócios oferecidas pelo mercado, como o são a tecnologia, o multicanal e as redes sociais. O E-commerce tem transformado o cenário dos negócios em todo o mundo e revolucionou a logística de comércio online, que desempenha um papel fundamental no sucesso de compras on-line.

Como estão a integrar as novas tecnologias na vossa operação?

Em 2014, a Seur criou a unidade de Transformação e Tecnologia com a convicção de que a transformação digital é uma oportunidade e um desafio. Na nossa opinião, a transformação digital exige determinação por parte das organizações de forma a conseguir inovar em produtos, processos e gestão de pessoas, criando valor de negócio.
A Seur definiu dois eixos de investimento: reforço da nossa infraestrutura e capacidade e inovação. Até 2020 prevemos efetuar um investimento de mais de 50 milhões de euros para a expansão das instalações e o reforço das infraestruturas e dos operadores. Este investimento vai permitir-nos responder às necessidades dos clientes e ao crescimento da empresa.
Para a Seur a tecnologia é um facilitador para transformar o nosso ‘core business’ num negócio inteligente, com uma nova visão da organização e uma mudança nos processos de gestão da empresa, que devem ser mais ágeis de forma a manter o ritmo exigido pelo mercado.
Ao longo dos anos, evoluímos de uma empresa que apenas transportava pacotes para mover informação e data. E, no global, toda esta transformação digital está a ajudar-nos a estar mais interligados e a ser mais ágeis. A nossa prioridade é atender às novas exigências do e-consumidor, e saber o que os consumidores procuram para lhes oferecer uma solução adaptada a cada um.
Existem alguns procedimentos que temos vindo a adotar, como por exemplo, a implementação de sistemas que otimizam o trabalho de entrega através de soluções como o SEUR Predict (solução para encomendas online em Portugal e Espanha que permite definir rotas informando o utilizador do tempo de entrega). Também a nova geração de aplicações que temos desenvolvido melhora a experiência de compra, partilhando mais informações com o cliente e tornando processo mais transparente. Com o Big Data e a utilização da tecnologia para conhecer informação relevante do utilizador podemos prever padrões, adaptarmo-nos ao seu comportamento e às suas necessidades.

Estamos ainda a trabalhar no desenvolvimento de funcionalidades na nuvem (Cloud), onde podemos disponibilizar serviços numa tecnologia que se adapta aos volumes de uma maneira mais eficiente que a base de infraestrutura própria.

Qual a diferenciação da Seur em relação aos seus concorrentes, no mercado português?

O Customer Experience (experiência do cliente) é o conceito-chave da nossa filosofia. Cada área da SEUR funciona sob essa filosofia e tudo o que fazemos é desenvolvido de forma a manter o cliente no centro de toda a estratégia, de todos os projetos, etc. A movimentação de encomendas através da Seur é incentivada pelo crescimento do comércio eletrónico e, simultaneamente, facilitada pelo desenvolvimento de um serviço de logística de valor acrescentado, integrado com o transporte. O facto de permitirmos o controlo de todas as etapas do processo até a encomenda chegar ao cliente final facilita a transação de encomendas, permitindo poupar tempo e recursos e maximizar a qualidade de serviço. Estamos a trabalhar num processo que nos permita saber em todos os momentos o que nossos clientes pensam, dizem e sentem sobre os aspetos específicos do serviço. Só desta forma saberemos como poderemos melhorar.
Em relação à parte logística, a Seur aposta em três fatores – rapidez, agilidade e flexibilidade – para responder às exigências dos consumidores no que se refere às suas compras online. Até porque, o consumidor quer ser dono do seu próprio tempo e ter o poder de decidir quando, como e onde quer receber a sua encomenda. A Seur é empresa de referência no setor de transporte urgente, pioneira em transações ibéricas, desde 1942. A Seur é líder nos fluxos ibéricos e há empresas que não têm escala suficiente para ter um fornecedor diferente por país de destino e por essa razão entregam as exportações a um só operador.

Como analisam a evolução do setor onde estão integradas?

Acreditamos que a transformação digital envolve uma nova visão de negócios que precisa de ser compartilhada e vivida por toda a organização, uma vez que oferece uma oportunidade de gerar melhorias e ganhos de eficiência operacional, enquanto nos permite estar mais perto dos nossos clientes, sejam eles remetentes ou destinatários.
O enorme crescimento do comércio eletrónico está a traduzir-se em mais encomendas, mais tipos de produtos, prazos cada vez mais apertados e horários personalizáveis. Uma revolução que obriga o sector da logística a investir na melhoria dos seus sistemas para lidar com o aumento da carga de trabalho nas empresas.

No entanto, a velocidade com que ocorrem as mudanças e a evolução do mercado são verdadeiros desafios. Estamos a viver um momento emocionante em relação à inovação. Na SEUR continuamos a investigar todas as tendências e adotamos todos os processos que podem melhorar o nosso negócio, tendo sempre em conta de que forma podemos beneficiar os nossos clientes.

A tecnologia, uma estratégia omnicanal e as redes sociais são as grandes oportunidades de negócio. O comércio eletrónico transformou o cenário empresarial em todo o mundo e revolucionou a logística e o seu papel no sucesso das compras online. Esperamos que esses fatores continuem a contribuir para o crescimento exponencial da transação de encomendas e para uma internacionalização mais ampla das empresas no mercado português.

O que vai mudar nos próximos anos na operação logística? Mais robotização, mais inteligência artificial?

O DPDgroup é já pioneiro na implementação de serviços inovadores, como a entrega de encomendas por drone. No ano passado, o grupo DPD criou uma rota de entrega comercial através de um drone. Uma vez por semana, o drone DPDgroup viaja entre Saint-Maximin-La-Sainte-Beaume e Pourrières, no sul da França (região da Provença). A rota permite a entrega de itens para uma incubadora de corte de empresas, incluindo uma dúzia de start-ups especializadas em tecnologia. Outra das áreas que acreditamos e defendemos é a economia colaborativa. No nosso entender, a economia colaborativa é uma oportunidade que expande o leque de possibilidades para cobrir as necessidades dos utilizadores e beneficiar o consumidor. Como tal, na SEUR, estamos comprometidos com a inovação em modelos comerciais e de relacionamento. Até porque, estamos conscientes do potencial que a economia e a tecnologia colaborativas disponibilizam para a logística urbana. Por estas razões, estamos atentos ao mercado e participamos no desenvolvimento de novas soluções, porque acreditamos que isso pode melhorar a relação com o cliente. Para a Seur é uma oportunidade oferecer, por exemplo, uma distribuição urbana muito mais flexível, mesmo on-demand, melhorando assim a experiência dos nossos clientes.

Mónica Rufino – Diretora Geral da Seur Portugal

Mónica Rufino assumiu funções como Diretora Geral da SEUR em 2009, sendo responsável pela gestão global da SEUR no âmbito das áreas de Vendas, Operações, Serviço ao Cliente, TI e Recursos Humanos em Portugal. Ao longo do seu percurso profissional, assumiu cargos de direção ligados aos recursos humanos, nomeadamente, entre 2000 e 2008, a direção de Recursos Humanos da SEUR em Portugal, seguida de uma breve passagem pela área do entretenimento mobile, onde assumiu o cargo de Head of Human Resources na TIMw.e, sendo responsável pela gestão dos recursos humanos em 60 países.
Licenciada em Sociologia Industrial, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, da Universidade Técnica de Lisboa, é especializada em Políticas de Gestão de Recursos Humanos. Mónica Rufino detém Mestrado em Gestão de Recursos Humanos, pelo Instituto de Gestão (ISG), e concluiu o Programa de Gestão da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica, em 2007.