Quantcast
Supply Chain

Congestionamento portuário estará a piorar face ao previsto

Os constrangimentos gerados sobretudo pelo encerramento de portos na China no início da pandemia, mas também um pouco por todo o globo, tem gerado elevadas taxas de espera em mar. As mercadorias ficam retidas longos períodos para lá da previsão de entrega e se o cenário parecia estar a melhorar, a publicação Container news diz que este ainda não é um cenário que possa ser tido em conta.

Servindo-se de dados do relatório Global Liner Performance, a Sea-Intelligence calculou a capacidade retirada do mercado de navios devido a constrangimentos para descarregar as suas mercadorias. Os dados, em novembro do ano passado, mostravam uma ligeira melhoria, mas o cenário ter-se-á agravado em dezembro.

 

Explica a publicação acima referida que, “no geral, 11,5% da capacidade global foi retirada do mercado devido a atrasos de navios em novembro de 2021, uma ligeira melhoria em relação a 12,3% em outubro de 2021”, sendo que, para já, de acordo com o relatório citado, “para a Europa, os analistas dinamarqueses veem uma situação que tem vindo a piorar desde o início de outubro, sem sinais de melhoria, ou mesmo estabilização.”

 

Refere a Container News que, fruto dos sucessivos atrasos, os valores cobrados para fretagem poderão continuar a subir, esperando-se que possa mesmo gerar novos constrangimentos nas cadeias de abastecimento. “Isso também implica que podemos esperar ver um aumento contínuo nas taxas de frete neste comércio, já que o congestionamento provavelmente terá um impacto negativo na confiabilidade e, portanto, na capacidade disponível”, comentou Alan Murphy, CEO da Sea-Intelligence.