Tecnologia

Empresas nacionais atrasadas na implementação de inteligência artificial

Empresas nacionais atrasadas na implementação de inteligência artificial

Cerca de 45% das empresas nacionais ainda não introduziram inteligência artificial (IA), uma percentagem que fica aquém da média da Europa, onde, no global, apenas 29% das companhias ainda não começaram a utilizar IA. A conclusão é de um estudo da Microsoft e da Ernst & Youngque revela, no entanto, que as administrações das empresas em Portugal já reconhecem que a inteligência artificial é importante.

Os resultados do estudo mostram também que a utilização de Inteligência Artificial nas empresas europeias ainda está a dar os primeiros passos, com apenas 4% dos líderes de organizações a reportarem que as suas empresas estão num estágio avançado de implementação da tecnologia.

Para além disso, ficamos a saber que 28% recorrem à IA de forma seletiva ou em alguns processos da empresa e metade ainda está numa fase de planeamento ou em estágio inicial de projetos-piloto.

Ainda assim, 64% das empresas portuguesas acredita que a IA vai ter um impacto significativo nas respetivas indústrias, um valor muito superior à média europeia, de 37%. 91% dos líderes nacionais tem a expetativa de que a IA beneficie os negócios através da otimização das operações e 77% diz que esta é uma tecnologia chave para envolver os clientes.

França é atualmente o país europeu que lidera os investimentos em inteligência artificial, com 165 acordos fechados no valor de 1357 milhões de dólares. Seguem-se a Alemanha (140 acordos e 520 milhões de dólares) e a Dinamarca (21 acordos e 330 milhões de dólares).