Transportes

1,15 mil milhões de euros para aeroportos de Lisboa

1,15 mil milhões de euros para aeroportos de Lisboa

Após meio século de discussão sobre o novo aeroporto de Lisboa, a ANA – Aeroportos de Portugal e o Estado assinaram esta tarde o acordo para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa, que prevê um investimento de 1,15 mil milhões de euros até 2028.

Este valor inclui a extensão do Aeroporto Humberto Delgado (Lisboa) e a transformação da base aérea do Montijo, cujo início de funcionamento está previsto para 2022.

Para o primeiro ano de funcionamento do novo aeroporto estão previstos sete milhões de passageiros.

Na cerimónia de assinatura do acordo, que contou com as presenças do primeiro-ministro, António Costa, e vários elementos do Governo, o responsável máximo da Vinci, Xavier Huillard, e o presidente da Vinci Aeroportos, Nicolas Notebaert, Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, admitiu que o futuro aeroporto do Montijo deverá gerar 10 mil postos de trabalho.

De referir, que a assinatura ocorreu sem que o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) tivesse sido entregue pela ANA.

O acordo vinculativo entre a ANA e o Estado estava previsto para outubro, segundo o calendário do memorando de entendimento, que indicava ainda o final de 2018 para a gestora dos aeroportos entregar os elementos adicionais que a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) requereu para o EIA.