Camionistas entram em acordo e suspendem protesto

As três centenas de transportadores presentes na Batalha suspenderam hoje de madrugada a paralisação de camiões, depois do acordo «possível» com o Governo.

As três centenas de transportadores presentes na Batalha suspenderam hoje de madrugada a paralisação de camiões, depois do acordo «possível» com o Governo, segundo notícia avançada pela agência Lusa. Aprovada foi ainda a criação de uma nova associação para o sector.

Esta noite, o porta-voz do movimento dos transportadores presentes, António Lóios, adiantou que os transportadores presentes na Batalha «tomaram a decisão de começar a negociar com o Governo uma série de medidas de acordo com necessidades que o sector merece». No que diz respeito à questão do preço dos combustíveis, António Lóios considerou que a proposta do Governo foi a «possível» e um sinal de respeito «do sector com a dignidade que ele merece».

«Há uma abertura do Governo para negociar connosco», acrescentou o empresário, salientando que este «movimento espontâneo» de transportadores foi considerado o «parceiro legítimo» na discussão.
Na reunião da Batalha, os transportadores aprovaram a criação de uma nova estrutura associativa, depois da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) se ter demarcado deste protesto.

Em comunicado, a ANTRAM tinha feito publicamente saber, no passado dia 7 de Junho, «que não está de acordo com a declaração de manifestações tomada na Batalha, em reunião onde estiveram presentes associados e muitos não associados», uma vez que consideravam que as negociações com o Governo, ain da não estavam esgotadas. Acrescentavam ainda que consideravam «segunda-feira um dia de trabalho normal» e esperavam «que o Governo encontre as devidas soluções durante a próxima semana, tal como lhe foi proposto pela ANTRAM».

Para Silvino Lopes, o primeiro porta-voz do movimento, «abriu-se uma porta. Penso que valeu a pena ter esperado porque houve medidas que não estavam sequer pensadas e agora estão a ser ponderadas», explicou, rejeitando as queixas feitas por alguns transportadores que acusam os promotores de terem prolongado a paralisação para forçar a criação de uma nova associação sectorial.

«Isso é uma falsa questão. A ANTRAM é que se demarcou de nos representar e felizmente tivemos um ministro que contactou um cidadão, que sou eu, e que tinha voz activa nos piquetes» espalhados pelo País. «Penso que ganhámos todos, quem perdeu foi a ANTRAM», acrescentou.

Camiões a circular
De acordo com informação divulgada já esta manhã pela agência Lusa, os camiões que desde segunda-feira estavam parados na zona do Carregado já estão a sair dos parques ou das bermas das estradas.
Estes camiões começaram a circular depois das três da manhã e continuavam ainda a sair dos parques às 10 horas de hoje, com o auxílio da GNR, não se registando qualquer problema nas estradas, segundo fonte policial.

Combust&ia