Logística

DB Schenker estuda exoesqueletos para melhorar ergonomia dos seus colaboradores de armazém

DB Schenker estuda exoesqueletos para melhorar ergonomia dos seus colaboradores de armazém

A DB Schenker já concluiu, na Alemanha, o seu projeto de teste do uso de exoesqueletos, em diferentes centros de trabalho com o objetivo de libertar os seus colaboradores de armazém de tarefas que exigem maior esforço físico.

“Também conhecidos como esqueletos externos ou robôs de suporte, estes dispositivos tecnológicos são estruturas de suporte eletromecânicas que são transportadas com o corpo e que estão desenhadas para apoiar os colaboradores durante os movimentos de elevação e rotação de cargas. A sua fisionomia protege as vértebras lombares e os músculos das costas, prevenindo a tensão nestas partes do corpo que, frequentemente, são a causa de doenças e da incapacidade para trabalhar.  A abordagem inicial do projeto foi realizada em torno da seleção de pedidos e da sequência de embalagens com um máximo de 15 quilogramas. Os colaboradores equipados com um exoesqueleto retiraram as embalagens das prateleiras de armazenamento e colocaram-nas em paletes, enquanto que o exoesqueleto apoiava as sequências de movimento, facilitando assim as suas funções”, explica a DB Schenker.

Atualmente, emboras as operações gerais de elevação sejam realizadas por máquinas como empilhadores ou robôs, a extração é ainda o complexa. Um exoesqueleto combina o poder da máquina com a competência motora humana.

Thomas Schulz, CHRO da Schenker AG, explica que “para a DB Schenker, os seus colaboradores são o ativo mais importante e valioso. Por esta razão, estamos realmente satisfeitos por poder anunciar que estamos a dar passos importantes para melhorar as suas condições de trabalho e, sobretudo, contribuir para que sejam mais saudáveis. Tal aproxima-nos do nosso objetivo estratégico de ser a empresa eleita para proporcionar serviços logísticos inovadores e líderes no setor”.