Logística

‘Digital twins’ criam valor no setor da logística, revela DHL

‘Digital twins’ criam valor no setor da logística, revela DHL

A DHL publicou esta semana o relatório de tendências ‘Digital Twins em Logística’, no âmbito do primeiro Internet of Things (IoT) Day do seu Centro de Inovação na Alemanha, e revela que a ascensão dos digital twins vem criar valor acrescentado para o setor da logística.

De acordo com a DHL, “a tecnologia, que envolve o uso de modelos digitais para melhor entender e gerir ativos físicos, já se encontra estabelecida em alguns setores e tem potencial para melhorar significativamente as operações de logística.”

“Um digital twin é uma representação virtual e única de algo físico que monitoriza e simula o estado físico e o comportamento desse mesmo objeto. A cópia digital está continuamente ligada ao objeto físico e vai sofrendo atualizações para refletir as mudanças do mundo real. Aplicados a produtos, máquinas e até mesmo a ecossistemas corporativos, os digital twins podem revelar insights do passado, otimizar o presente e até prever o desempenho futuro”, explica ainda a DHL.

Matthias Heutger, Senior Vice President, Global Head of Innovation & Commercial Development da DHL, explica que “o mercado de digital twins deve crescer mais de 38% por ano, ultrapassando a marca dos 26 mil milhões de dólares até 2025. Os digital twins oferecem recursos incomparáveis para localizar, monitorizar e diagnosticar ativos. Estes vão mudar as cadeias de fornecimento tradicionais, com uma variedade de opções que facilitam a tomada de decisões baseada em dados e colaboração, processos de negócios simplificados e novos modelos de negócios. Estamos empenhados em trabalhar com os nossos clientes e parceiros para explorar em conjunto as diferentes aplicações desta solução na nossa indústria”.

“Os digital twins podem ter uma grande variedade de aplicações ao longo de toda a cadeia de valor da logística, incluindo a gestão de frotas de contentores, monitorização de envios ou a projeção de sistemas de logística. Os sensores de IoT em contentores individuais, por exemplo, mostram a sua localização e monitorizam possíveis danos ou contaminações. Estes dados são enviados para um digital twin da rede de contentores, que utiliza sistemas de machine learning para garantir que os contentores são enviados da forma mais eficiente possível”, acrescenta ainda a empresa.

Os digital twins podem ser aplicados não apenas a ativos individuais, mas também a redes e ecossistemas inteiros, como armazéns, combinando um modelo 3D das instalações com dados operacionais e informações de stock. O sistema seria capaz de fornecer uma visão geral do estado das máquinas e da disponibilidade do produto e poderia fazer previsões e tomar decisões de forma autónoma sobre o stock ou as entregas.

Markus Kückelhaus, Vice President, Innovation and Trend Research, DHL Customer Solutions & Innovation, conclui que “graças à IoT, computação em nuvem, inteligência artificial e a ferramentas avançadas de visualização, os digital twins estão a tornar-se uma opção cada vez mais atraente e acessível para as empresas. No entanto, reunir estas e outras tecnologias relevantes numa solução twin totalmente digital é uma tarefa complexa e desafiante. A estreita colaboração entre todos os parceiros ao longo da cadeia de valor é, portanto, essencial para aproveitar o potencial desta medida na totalidade.”