Empresários europeus estão optimistas e prevêem futuro promissor para o emprego

A 17ª edição do UPS Europe Business Monitor, onde foram inquiridos 1.451 executivos de topo, revela que o optimismo dos empresários para o próximo ano mantém-se.

A 17ª edição do UPS Europe Business Monitor, onde foram inquiridos 1.451 executivos de topo, revela que o optimismo dos empresários para o próximo ano mantém-se, com perspectivas de crescimento muito próximas deste ano.

Os executivos de topo na Europa reportaram constantes melhorias na prestação corporativa este ano, uma vez que a maioria dos inquiridos indicaram que o clima de negócios melhorou no último ano (54%). Apenas um em cada dez sente que as coisas se deterioraram. Este facto confirma uma tendência positiva e optimista em relação ao panorama que os executivos de topo na Europa traçaram para o futuro o ano passado.

A liderar a lista daqueles que estão satisfeitos com a sua actual posição económica estão os executivos na Bélgica com uns impressionantes 66%, reportando que o seu negócio está melhor agora, do que no ano passado. Pela negativa, os Países Baixos juntam-se à França no fundo da lista. Ambos os países têm o menor número de executivos a reportar uma melhoria da sua situação financeira.

Olhando mais além, o sector está um pouco mais inclinado para os optimistas, com mais de metade (51%) a responder que as suas perspectivas serão melhores no ano que aí vem. Só 8% dos executivos prevêem que o pior ainda está para vir. A liderar a lista dos optimistas estão os executivos em Itália, onde 58% acreditam que os seus negócios irão melhorar no próximo ano.

Espanha tem a maior percentagem de executivos a prever uma quebra em 2008 (12%), embora seja importante de realçar que a percentagem de directores no país que têm uma visão positiva em relação ao novo ano (57%) está em segundo, sendo apenas ultrapassado pela Itália (58%).

83% aumenta ou mantém força de trabalho

Em contraste com o optimismo referido acima, a Itália tem a maior percentagem de inquiridos (18%, empatada com a Alemanha) a prever uma redução de pessoal em 2008 e a menor percentagem entre os que planeiam aumentar. Já os executivos nos Países Baixos, apesar de serem pessimistas quanto à sua actual posição, lideram o conjunto dos que prevêem um aumento de pessoal, com 39%.

Por toda a Europa, as coisas tendem a ser positivas, com 83% demonstrando a sua intenção em aumentar a sua força de trabalho ou mantê-la.

A 17ª edição da UPS Europe Business Monitor inquiriu 1,451 líderes executivos de uma amostra significativa das empresas mais importantes da Europa, entre 29 de Agosto e 18 de Outubro de 2007. Esta sondagem é realizada anualmente.

As entrevistas foram realizadas nos seguintes países: Alemanha (251), Bélgica (100), Espanha (250), França (250), Itália (250), Países Baixos (100) e Reino Unido (250). Os inquiridos possuem o cargo de director ou de nível superior.s>