- Logistica e Transportes Hoje - https://www.logisticaetransporteshoje.com -

Grupo Deutsche Post DHL com receitas de 14,9 mil milhões de euros no primeiro trimestre

O Grupo Deutsche Post DHL terminou os primeiros três meses deste ano com receitas de 14,9 mil milhões de euros, um crescimento de 7,3% face ao período homólogo. Numa nota enviada às redações, a empresa de logística revela que se trata de uma “boa performance” que “ficou espelhada em outros indicadores”.

Analisando o EBIT, o Grupo obteve um total de 885 milhões de euros (mais 1,4% face ao período homólogo), traduzindo-se “no trimestre mais forte da história do grupo”, refere a empresa em comunicado.

“Depois de um ano recorde em 2016, a tendência de crescimento tem continuado no Grupo Deutsche Post DHL este ano. Registámos crescimento em todas as quatro unidades de negócio do Grupo. A nossa estratégia está a resultar e estamos confiantes de que vamos atingir os nossos objetivos para 2017”, explica Frank Appel, CEO do Grupo Deutsche Post DHL.

No primeiro trimestre deste ano, o grupo investiu cerca de 334 milhões de euros, nomeadamente na sua rede de bicicletas elétricas, na expansão dos hubs regionais e globais da DHL Express e na modernização e expansão da frota de aviões.

DHL Express foi a divisão que mais cresceu

Olhando para cada uma das unidades de negócio da companhia, é possível perceber que a DHL Express foi a que obeteve o melhor desempenho nos primeiros três meses do ano, com as suas receitas a crescerem 13%.

“No que diz respeito aos resultados líquidos consolidados do Grupo, os números do primeiro trimestre ficaram ligeiramente abaixo (-0,9%) dos níveis verificados no mesmo período do ano passado: no primeiro trimestre de 2017, os resultados líquidos consolidados cifraram-se nos 633 milhões de euros, o que compara com os 639 milhões registados no mesmo período de 2016. Esta descida ligeira justifica-se pelo aumento dos impostos”, acrescenta a empresa.

Para os próximos meses do ano, o Grupo Deutsche Post DHL espera que a economia mundial “cresça moderadamente”. Nesse sentido, a empresa mantém as suas metas para aumentar o EBIT para cerca de 3,75 mil milhões de euros.