Tecnologia

Indra cria serviços de transporte baseados no uso de drones e inteligência artificial

Indra cria serviços de transporte baseados no uso de drones e inteligência artificial

A Indra vai desenvolver aplicações baseadas no uso de drones e inteligência artificial. De acordo com a empresa, estas aplicações permitirão oferecer novos serviços avançados de transporte e melhorar o seu controlo e exploração, assim como a construção, gestão e manutenção das infraestruturas.

“Estes trabalhos estão enquadrados no projeto europeu I+D+i Comp4Drones, liderado pela Indra, no qual a empresa coordena 49 parceiros da França, Itália, Áustria, Bélgica, República Checa, Letónia e Holanda. O objetivo é desenvolver tecnologias chave de hardware, software e comunicações para que os drones sejam seguros e autónomos em aplicações complexas nas áreas de transporte, construção, logística, vigilância e monitorização e agricultura”, explica a companhia em comunicado.

O projeto conta com um orçamento de cerca de 30 milhões de euros e é financiado pelo programa europeu ECSEL. “A Indra lidera o caso de uso e os dois modelos demonstradores que serão realizados para a gestão de transportes. O objetivo é aplicar os drones para melhorar a eficiência, automatização e custo de monitorização, o controlo e manutenção das operações de transporte, tanto terrestre como marítimo, e das suas infraestruturas, oferecendo uma maior flexibilidade e robustez nas soluções e serviços. Da mesma forma, os drones podem ajudar a reduzir os tempos de resposta a incidentes e os riscos operacionais, aumentar a capacidade das áreas de carga nos portos e outras infraestruturas e aumentar a segurança e a sustentabilidade”, diz ainda a Indra.

No âmbito deste projeto, a Indra usará os drones como mais um sensor dos sistemas de monitorização de transporte existentes e vai integrá-los nas suas soluções de controlo e gestão de transporte, denominadas por Mova Traffic. Além disso, desenvolverá ferramentas de processamento de imagens e vídeo baseadas em placas gráficas, assim como em tecnologias de inteligência artificial e deep learning para analisar o vídeo e as imagens captadas pelos drones, de forma a que um incidente possa ser detetado automaticamente. Além dos algoritmos de inteligência artificial, está previsto desenvolver no projeto algoritmos de planeamento de trajetória, monitorização de segurança, evitar obstáculos, geofencing para estabelecer limites virtuais numa determinada área geográfica ou pré-processamento local.