Logística

Jungheinrich prevê encerrar 2018 com receitas de 3,75 mil M €

Jungheinrich prevê encerrar 2018 com receitas de 3,75 mil M €

A Jungheinrich prevê terminar o ano fiscal de 2018 com receitas entre os 3,65 mil milhões de euros e os 3,75 mil milhões de euros. De acordo com a empresa, este resultado foi revisto em alta devido ao “aumento” das encomendas efetuadas nos primeiros meses do ano, que deverão atingir um total de 3,95 mil milhões de euros até ao final do ano.

Volker Hues, CFO da Jungheinrich, sublinha que “tanto o mercado como a nossa atividade estão a registar um forte crescimento. Estamos a beneficiar do nosso mercado principal, o europeu, e da procura positiva no que diz respeito aos negócios de sistemas logísticos. As encomendas, as receitas e o EBIT têm crescido em comparação com o ano anterior. Contudo, o aumento considerável do preço das matérias primas e a dificuldade no abastecimento de certos materiais, representam um desafio e têm impacto sobre os ganhos».

De acordo com a multinacional, “o volume do mercado global de equipamentos de movimentação de carga aumentou 14% no período de janeiro a setembro do ano corrente, o que corresponde a 139 mil unidades.”

Este incremento deve-se, de acordo com a Jungheinrich, sobretudo ao mercado asiático, “principalmente à China”. Já o volume de mercado na Europa Ocidental aumentou 12% e na Europa Oriental cresceu 21%, devido à Polónia.

“O segmento de equipamentos de armazenamento registou um crescimento global de 17%, equivalente a 78 mil máquinas, com mais de 40% deste valor a ser atribuído à Ásia e à Europa. Os segmentos de empilhadores elétricos e empilhadores movidos a combustão interna também registaram crescimentos do volume, com 11% e 10% respetivamente, com o mercado chinês a ser o grande impulsionador das taxas altas de crescimento em toda a Ásia.  As encomendas, com base em unidades, que inclui venda e aluguer de curto prazo, totalizou 100 mil máquinas, 9% acima do ano anterior (92,1 mil unidades). Isto deveu-se à elevada procura registada na Europa, o principal mercado da Jungheinrich. Em termos de valor, as encomendas de todas as áreas de negócio – venda de novas, venda de usadas, aluguer e serviço pós-venda – cresceram 15% em comparação com o mesmo período do ano anterior e atingiram os 2996 milhões de euros até 30 de setembro”, conclui.

Recorde-se que, em abril deste ano, a Jungheinrich abriu a sua nova delegação no Norte de Portugal. A empresa, cujas instalações na região Norte estavam localizadas em Mindelo, tem agora uma infraestrutura de 650 metros quadrados na Zona Industrial da Maia.