APP

Portos pedem consenso na definição do investimento

Exportações portuguesas sobem 6

A Associação dos Portos de Portugal pediu que a discussão pública do relatório do grupo de trabalho para as infraestruturas de elevado valor permita “um consenso” que garanta a “longevidade” nas prioridades de investimento público.

“É fundamental que, como se passa em outros países, se chegue a consenso e se garanta longevidade nas prioridades de investimento a longo prazo, independentemente dos ciclos políticos”, afirmou o presidente da APP, Vítor Caldeirinha.

De acordo com o responsável, “as necessidades de investimento do setor portuário até 2020” estão “espelhadas” no documento apresentado ao Governo que aponta os portos e a ferrovia como prioridades.

O setor dos transportes marítimos, admitiu o também presidente da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, “deve passar a ser aposta nacional na orientação de Portugal para o mar, como já aconteceu noutros países vizinhos. Os portos portugueses têm um grande número de pequenos e médios investimentos que são fundamentais para a melhoria da capacidade e da eficiência com incidências na competitividade do país. Com pouco investimento, o impacto no país pode ser enorme.”

O relatório do grupo de trabalho para as infraestruturas de elevado valor define 30 projetos prioritários a nível nacional, entre os quais a expansão do porto de Sines, a construção de um terminal de águas profundas em Lisboa e a modernização da linha do Norte.