Logística

Receitas do Grupo Deutsche Post DHL aumentam para 61,6 mil M€ em 2018

Receitas do Grupo Deutsche Post DHL aumentam para 61,6 mil M€ em 2018

O Grupo Deutsche Post DHL registou um crescimento nas receitas de cerca de 1,8% em 2018, encerramento o ano com uma faturação de 61,6 mil milhões de euros. Numa nota enviada às redações, a empresa revela que “todas as divisões do grupo contribuíram para esta tendência positiva”.

A empresa explica ainda que a impulsionar esta evolução positiva esteve o negócio do e-commerce, assim como o crescimento sustentado dos fluxos de comércio internacional. O lucro operacional do Grupo (EBIT) chegou aos 3,2 mil milhões de euros, atingindo a meta ajustada definida pela empresa em junho de 2018.

Frank Appel, CEO do Grupo Deutsche Post DHL, explica que “2018 foi um ano desafiante para o Grupo Deutsche Post DHL, em que terminámos com um negócio bem-sucedido no Natal. Apesar das crescentes incertezas geopolíticas, o comércio global continuou a crescer. Este aspeto beneficiou particularmente as divisões da DHL. No negócio Post e Parcel na Alemanha estabelecemos medidas para garantir o crescimento do EBIT a longo prazo desta divisão – e temos noção de que isto implica uma carga a curto prazo sobre o EBIT. Criamos, assim, as condições necessárias para atingir as metas que estabelecemos para 2020 e continuarmos a crescer de forma rentável nos anos que se seguem”.

Em 2018, a companhia reforçou os seus investimentos, com cerca de 2,6 mil milhões de euros gastos nas suas quatro divisões, mais 16,8% do que no período homólogo: a empresa expandiu e modernizou as suas infraestruturas do negócio nacional de encomendas e investiu na frota automóvel, bem como na expansão da produção da Street Scooter; na divisão Express, o Grupo melhorou os seus hubs em Bruxelas, Madrid e Hong Kong e expandiu e modernizou a frota de aviões.

Em 2019, a empresa prevê aumentar as suas despesas de capital para cerca de 3,7 mil milhões de euros, um valor que 1,1 mil milhões de euros para a renovação do financiamento por dívida da frota de aviões Express, anunciada em 2018.