Transportes

Edenred adquire totalidade da UTA

Edenred adquire totalidade da UTA

A Edenred adquiriu todas as ações da sua subsidiária UTA, o emissor de cartões de combustível multimarca e fornecedor de serviços de valor acrescentado, como soluções de pagamento de portagens, manutenção de veículos e soluções de recuperação de IVA.

A aquisição total decorreu de um exercício de opção de venda dos 17% das ações em circulação da família Eckstein, cofundadora da UTA. A opção de venda, que expiraria em julho de 2020, foi já contabilizada na dívida líquida do Grupo.

Após adquirir, em 2015, a primeira participação, a Edenred tornou-se, em 2017, o acionista maioritário da UTA, tendo continuado a aumentar gradualmente a sua participação para 83%, até junho de 2018.

Desde que a Edenred adquiriu a participação de controlo, a UTA aumentou consideravelmente a sua presença no mercado europeu e continuou a expandir a sua rede de parceiros, que compreende já cerca de 65 mil postos de aceitação em 40 países.

“Esta transação representa a última etapa da integração gradual da UTA na Edenred. Ao longo dos últimos três anos, fizemos da UTA a protagonista da nossa expansão de soluções de Frota e Mobilidade na Europa, que é um dos principais impulsionadores da estratégia do Grupo para um crescimento sustentável e lucrativo. Estamos orgulhosos do progresso que fizemos juntos desde 2015 e entusiasmados com as perspetivas de crescimento futuro”, afirmou Antoine Dumurgier, diretor de operações de fleet & mobility solutions na Edenred.

Por outro lado, partindo das suas soluções de cartões de combustível, a UTA expandiu os seus recursos e oferta, desenvolvendo serviços de valor acrescentado, como os pagamentos eletrónicos de portagens, como a UTA One Box e as soluções de recuperação de IVA para empresas de transporte. Em 2019, estes serviços de valor acrescentado representaram mais de 40% da receita total da empresa.

A transação será acrescida ao lucro líquido das ações do grupo a partir de 2020. Dado que a opção de venda foi já contabilizada, será praticamente neutra na dívida líquida consolidada do grupo.