Portos

Estivadores e empresas portuárias de Setúbal voltam a negociar

Não há acordo no Porto de Setúbal

O Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) propôs às associações que representam as empresas portuárias de Setúbal que sejam agendadas reuniões nos próximos dias 23, 29 e 30 de novembro para voltar a discutir um “contrato coletivo de trabalhado” e “soluções para os diversos problemas” que estão a marcar a realidade portuária.

A notícia surge depois de na passada semana o SEAL ter anunciado que os estivadores iriam avançar com uma greve ao trabalho suplementar até ao dia 1 de janeiro de 2019. Já esta terça-feira (20 de novembro), a Associação dos Agentes de Navegação e Empresas Operadoras Portuárias (ANESUL) avança que recebeu uma carta do SEAL a solicitar uma nova negociação.

A Operestiva, operadora do Porto de Setúbal e associada da ANESUL, já veio dizer que se congratula “com a comunicação escrita recebida hoje [20 de novembro] na ANESUL, do sindicato SEAL, para que possam ser reiniciadas as negociações, para resolução de todas as questões referentes ao Porto de Setúbal”.

A operadora diz, no entanto, que só negocia se a greve ao trabalho suplementar for cancelada.  “Como é prática no Porto de Setúbal, foi requerido ao Sindicato SEAL que as negociações prossigam tal e qual como no momento em que foram interrompidas pelo próprio Sindicato, ou seja, sem greve e sem paralisação por parte dos trabalhadores eventuais”.