Quantcast
Transportes

Maersk põe-se na ‘rota da sustentabilidade’ com oito cargueiros neutros em carbono

Maersk aposta em porta-contentores a biocombustível já em 2023

A Maersk continua a sua aposta na transformação da sua operação, reforçando agora a sua frota com uma série de oito cargueiros capazes de operar com metanol neutro em carbono, que entrarão ao serviço em 2024.

Segundo o explicado, os navios serão construídos serão construídos pela Hyundai Heavy Industries (HHI) e terão capacidade para transportar cerca de 16.000 TEU, sendo que, depois da entrega da primeira unidade no primeiro trimestre de 2024, o acordo entre as duas empresas contempla ainda a opção para mais quatro embarcações adicionais em 2025.

Esta série de navios irá substituir a anterior, gerando uma poupança nas emissões carbónicas em aproximadamente 1 milhão de toneladas. “Como pioneiros no sector, os navios oferecerão aos clientes da Maersk um transporte verdadeiramente neutro em carbono em escala em alto mar”, avança a empresa em comunicado.

Os navios têm um motor de duplo combustível, e a empresa avança que as despesas de capital adicional (CAPEX) para a capacidade de combustível duplo, que permite a operação com metanol, bem como combustível convencional com baixo teor de enxofre, estará na faixa de 10-15% do preço total, permitindo que a Maersk dê um salto significativo no seu compromisso em dimensionar soluções neutras em carbono e liderar a descarbonização da logística de contentores.

Soren Skou, CEO da A.P. Moller – Maersk, reforça que “agora é a hora de agir, se quisermos resolver o desafio climático do transporte marítimo. Este pedido prova que soluções neutras em carbono estão disponíveis hoje em todos os segmentos de navios porta-contentores e que a Maersk está comprometida com o número crescente de clientes que procuram descarbonizar as suas cadeias de abastecimento. Além disso, este é um sinal firme para os produtores de combustível de que a demanda de mercado para os combustíveis verdes do futuro está a surgir a alta velocidade”.