- Logistica e Transportes Hoje - https://www.logisticaetransporteshoje.com -

Mercedes-Benz vai investir na produção de camiões sustentáveis na fábrica de Wörth

A fábrica da Mercedes-Benz [1] em Wörth, Alemanha, vai receber investimento para a produção de camiões da Daimler Truck [2] com baterias elétricas e células de combustível, para a qualificação da mão de obra e para a expansão da digitalização.

Em comunicado, a empresa revela que a produção do modelo eActros [3] para distribuição urbana vai iniciar-se já em outubro deste ano.  A produção em série da bateria elétrica do eActros LongHaul para transporte de longa distância está prevista iniciar-se em 2024, com os primeiros veículos com células de combustível a hidrogénio a serem entregues aos clientes a partir de 2027.

A Mercedes-Benz pretende também que a fábrica em Wörth, incluindo a sua produção, seja neutra em CO2 a partir de 2022, tal como todas as outras fábricas europeias da Daimler Truck.

“Hoje estamos a lançar as bases para o futuro da produção de camiões Mercedes-Benz. A mudança tecnológica na nossa indústria para camiões locais sem emissões também implica uma transição imensa para as nossas localizações e produção. Com o novo panorama-alvo da fábrica de Wörth, estamos a garantir a competitividade e, portanto, o futuro a longo prazo da localização: No futuro, queremos expandir em grande medida a produção dos nossos camiões elétricos e já estamos a criar as condições para isso”, diz Sven Gräble, Head of Mercedes-Benz Trucks Operations, responsável pela rede global de produção da Mercedes-Benz Trucks.

A visão para o futuro da fábrica da Mercedes-Benz em Wörth é determinada num acordo de obras com um prazo até ao final de 2029. Os detalhes para a implementação serão ainda elaborados entre o conselho de administração e o conselho de empresa nos próximos meses.

A empresa refere, no entanto, que a transformação também vai requerer o apoio do setor público. Por conseguinte, a Daimler Truck AG apresentou um pedido ao Governo alemão no âmbito do financiamento das tecnologias de hidrogénio e células de combustível, que inclui também a conversão na fábrica de Wörth. O governo estatal da Renânia-Palatinado já sinalizou o seu apoio na última declaração governamental.