Transportes

Metro de Lisboa transportou 173 milhões de passageiros em 2019

Metro vai estar aberto na noite de Santo António

O Metropolitano de Lisboa transportou 173 milhões de passageiros em 2019, com base nas validações de títulos de transporte. Este indicador corresponde a mais 15 milhões de passageiros, o que representa um crescimento de 9%, face ao período homólogo, informou a rede de transportes públicos num comunicado enviado à LOGÍSTICA & TRANSPORTES HOJE.

Segundo o Metro, aumento da procura contribuiu para um acréscimo de 1,1%, da receita tarifária do Metro, que foi de 113 milhões de euros, um valor previsional com comparticipações de passes.

O Metro de Lisboa registou um acréscimo de 17,9% nas validações de clientes com passes, passando de 108 milhões, em 2018, para 127 milhões de passageiros, em 2019. Este incremento justifica o aumento de receitas do Metro nos passes, de cerca de 6,4 milhões de euros, que representam mais 12,8%.

Segundo a empresa, o crescimento do número de validações de passes está associado à diminuição da utilização dos títulos ocasionais, que registaram uma redução de 11,9% quando comparados com 2018. Estes valores apontam que há muitos clientes a transitar para a nova tipologia como consequência da introdução do PART (Programa de Apoio à Redução do Tarifário) e do novo tarifário do Navegante. Devido a esta alteração de comportamento, os títulos de transporte ocasionais verificaram uma redução na receita de 9,4% relativamente a 2018.

Os números representam um aumento de procura de cerca de 22 milhões de passageiros, desde 2017 e refletem o resultado do aumento da oferta (em 6,38% face ao ano anterior) do Metropolitano de Lisboa, que, em 2019, atingiu 27 609 828 carruagens x km.

“Com estes resultados o Metropolitano de Lisboa vê reconhecido o esforço que tem vindo a desenvolver, desde 2017, para dar resposta adequada às exigências e às expectativas dos seus clientes, reforçando a sua posição como transportador estruturante na Área Metropolitana de Lisboa, o que se traduz numa melhoria do seu desempenho global, designadamente na qualidade do serviço que diariamente presta, contribuindo para a consolidação de formas de mobilidade urbana mais sustentáveis, com efeitos positivos na descarbonização, na redução do congestionamento e na sinistralidade”, referem em comunicado enviado à LOGÍSTICA & TRANSPORTES HOJE.

A empresa apontou também os investimentos em curso, mais precisamente o processo de modernização e de expansão da rede, como “evidência do compromisso e empenho efetivo do Metropolitano de Lisboa”.