Transportes

O mediatismo da greve dos motoristas

O mediatismo da greve dos motoristas

A greve dos motoristas foi desconvocada no domingo, ao 7.º dia de greve e o estado de crise energética terminou, ontem (segunda-feira), à meia noite. Este foi o tema principal da agenda mediática portuguesa, na última semana, com a Cision, empresa global em serviços e software de pesquisa, monitorização e análise de media, a contabilizar um total de 8.241 notícias sobre a greve, entre 12 e 18 de agosto, ou seja, no período da paralisação.

Nestas notícias, a entidade que obteve maior mediatismo, com 46% de referências, foi a ANTRAM (Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias). O segundo lugar foi ocupado pelo SNMMP (Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas), com 36% de menções e, ainda no pódio do mediatismo, surge Pedro Pardal Henriques, vice-presidente e porta-voz do SNMMP, advogado e inicial rosto da luta dos motoristas, com 30% de alusões.

O SIMM (Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias) foi a 4.ª entidade mais mencionada, reunindo 28% das referências e o Primeiro Ministro António Costa completa o top 5, com 14%.

O mediatismo da greve dos motoristasO ministro do Ambiente e da Transição Energética, Matos Fernandes e André Almeida, porta voz da ANTRAM, ocupam, em ex aequo, a 6.ª posição, com 11%.

O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, consegue o 8.º lugar, com 9%. Pedro Nuno Santos, Ministro das Infraestruturas, Anacleto Rodrigues, representante do SIMM, e Pedro Polónio, representante da ANTRAM, concluem o top mediático, com 7, 3 e 2% das referências, respetivamente.

No que diz respeito à distribuição das notícias por tipo de meio, os Sites informativos contabilizaram o maior volume de artigos sobre este tema, com 47% (3.873) do total de notícias, seguidos pela Televisão, onde se registaram 40% das referências à greve (3.296), equivalentes a 205 horas de transmissão. A Rádio somou 10% das notícias (824) e a Imprensa, 3% (247).