Porto de Setúbal estuda desenvolvimento das acessibilidades

A APSS e a Consulmar assinaram dois contratos para adjudicação de estudos sobre as alternativas de localização de novas infra-estruturas que potenciem o desenvolvimento da náutica de recreio no porto de Setúbal.

A APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, S.A., e a Consulmar – Projectistas e Consultores, Lda., assinaram dois contratos para adjudicação de estudos sobre as alternativas de localização de novas infra-estruturas que potenciem o desenvolvimento da náutica de recreio no porto de Setúbal e de viabilidade técnica, económica, financeira e ambiental da melhoria dos acessos marítimos ao porto de Setúbal.

Com o tendencial aumento da dimensão e do calado dos navios do tráfego comercial, incluindo os navios de tráfego intra-europeu, com vista a reduzir os custos do transporte marítimo, a maioria dos portos têm vindo a realizar obras de melhoria dos seus canais de acesso marítimo por forma a permitir a entrada das novas frotas e a poder continuar assim a cumprir o seu papel como pólo dinamizador económico no hinterland.

Náutica de recreio no Rio Sado
A APSS contratou a elaboração do estudo de alternativas de localização de infra-estruturas de apoio em terra e estacionamento das embarcações de recreio em área molhada, que permitam o florescimento futuro destas actividades em Setúbal. Está em causa saber onde e como poderão ser construídas novas marinas, portos de recreio ou fundeadouros abrigados no rio Sado, com serviços de qualidade no apoio às embarcações, potenciando a valorização do turismo na região e permitindo uma maior aproximação da população ao rio.

Os contratos dos estudos, orçados em cerca de 84 mil euros, foram assinados por Carlos Gouveia Lopes e Ricardo Roque, respectivamente presidente e vogal do conselho de administração da APSS S.A, e por Carlos Ferreira Abecassis e José Pedro Coelho Fernandes, ambos gerentes da Consulmar, Lda.rc=htt