Mobilidade

Portugueses consideram que veículos elétricos só são adequados para as grandes cidades

Portugueses consideram que veículos elétricos só são adequados para as grandes cidades

Apesar de reunirem todas as características para serem considerados “um modo de transporte urbano por excelência”, os veículos elétricos são, para os portugueses, uma alternativa viável apenas para a circulação nas cidades e nos centros urbanos (68%). A conclusão é do mais recente estudo Observador Cetelem Automóvel 2019.

De acordo com o estudo, os portugueses são quem menos concorda com a ideia de que os veículos elétricos são o meio de transporte mais adequado para os centros urbanos. Para além disso, para 86% do total de inquiridos e para 84% dos portugueses continuam a existir poucos modelos disponíveis.

A Alemanha é o país onde os inquiridos mais acreditam na ideia de que os veículos elétricos parecem ser mais adequados à circulação na cidade e aos centros urbanos (86%), seguida da Itália (83%). Os belgas, por outro lado, são aqueles que menos concordam com o papel exclusivamente urbano dos elétricos (54%).

65% dos inquiridos dizem também que os veículos elétricos permitem escapar às limitações urbanas que têm vindo a ser impostas à circulação de automóveis um pouco por todo o mundo. Esta percentagem é ainda maior nos países que aplicam restrições de circulação aos veículos de combustão, como Itália (86%), Espanha (84%), China (81%) e México (78%).

Em Portugal, apenas 45% dos inquiridos nacionais consideram que os veículos elétricos permitirão escapar às crescentes limitações urbanas impostas aos automóveis.

Portugueses dizem existir pouca oferta

O estudo agora publicado revela ainda que para 86% dos inquiridos, a oferta de modelos de veículos elétricos continua a ser pouco atrativa, com poucos modelos disponíveis. Os noruegueses são aqueles que menos concordam com esta ideia (64%). No caso dos portugueses a percentagem sobe para os 84%.