Quantcast
Transportes

Prio lança combustível verde para transporte marítimo

Prio Biocombustível

A Prio vai lançar o “Eco Bunkers”, um combustível verde para navios com 15% de incorporação de biodiesel, desenvolvido a partir de processos de reciclagem de matérias-primas residuais, produzido na fábrica da empresa, em Aveiro. Este novo produto marca a entrada da Prio no segmento sustentável do transporte marítimo, que vai estar disponível para abastecimento em todos os portos portugueses, com particular incidência para os portos do Centro e Norte do País.

De acordo com a produtora de biocombustíveis, o “Eco Bunkers”, para além de permitir reduzir até 18% de emissões de CO2, permite também uma redução de consumo até 5%. Trata-se de “um combustível que alia qualidade, poupança e sustentabilidade, ao fomentar uma economia circular, reciclando resíduos que, de outra forma, teriam um alto custo de tratamento”, lê-se em comunicado.

Desta forma, a Prio torna-se na primeira empresa energética na Península Ibérica a desenvolver e comercializar um combustível mais sustentável, marcando também um salto na oferta da Prio para o setor marítimo. “Este novo produto de base sustentável é resultado de um trabalho de mais 10 anos de investigação e desenvolvimento na área dos biocombustíveis, que, de acordo com estimativas da Prio, permitiu já uma poupança superior a 2,1 milhões de toneladas de CO2”, refere a empresa.

“Tal como no setor automóvel, a partir de agora, também os navios poderão abastecer-se com um combustível de qualidade, que permite reduzir drasticamente as emissões de CO2, bem como consumo. Ao continuarmos a investir nos biocombustíveis, trazendo-os para o transporte marítimo, mostramos não só o nosso compromisso com a inovação, mas também com a sustentabilidade”, afirma o diretor da Prio Supply, Luís Nunes.

No mesmo comunicado, a Prio refere que o setor do transporte marítimo “é uma das principais e crescentes fontes de emissões de gases com efeito de estufa para a atmosfera, sendo responsável por cerca de 3% do total de emissões de CO2”, adiantando que o consumo de combustível global do setor “estima-se que seja de 330 milhões de toneladas anuais, valor superior ao do setor da aviação e mais do dobro do combustível utilizado no transporte rodoviário de mercadorias”. “Se tivermos em conta que mais de 80% de todos os bens são transportados por via marítima, com o crescimento previsto do setor, a pegada ambiental poderá triplicar até 2050, se não surgirem alternativas viáveis”, alerta.

A Prio tem acelerado, desde 2013, a sua aposta no desenvolvimento e comercialização de energias do futuro para a mobilidade, nomeadamente através dos biocombustíveis avançados, produzidos a partir da reciclagem de óleos alimentares usados, sendo atualmente uma das maiores produtoras europeias de biodiesel a partir deste resíduo. Já nos últimos anos, a empresa tem investido na produção de biodiesel através de outros tipos de matérias-primas residuais, como resíduos florestais, urbanos e industriais.

“A reciclagem e posterior utilização destes tipos de matérias-primas para produção de biocombustíveis avançados permite uma redução significativa do impacto ambiental associado à mobilidade, quer pela diminuição de uso de terra fértil para produção de biodiesel simples, quer pela redução das emissões de gases de efeito de estufa para a atmosfera resultante do processo de reciclagem”, conclui a Prio.