Transportes

STEF diz que 2018 foi um ano “de forte crescimento”

STEF diz que 2018 foi um ano “de forte crescimento”

A STEF acaba de publicar os resultados relativos ao ano fiscal de 2018. No ano que passou, a empresa registou um volume de negócios de 3255,1 milhões de euros, um crescimento de 9,4% face ao período homólogo. O EBIT da companhia atingiu os 137,2 milhões de euros, mais 3,7% do que em 2017.

A empresa de transportes e logística fala de um ano “de forte crescimento” e que “fortaleceu” a sua posição como “pure player”.

Em 2018, a STEF entrou no mercado do congelado em Itália. Em França, a companhia revela que 2018 foi “um ano excecional”: “os esforços de estruturação da atividade de Restauração e o aumento significativo do custo da energia afetaram os resultados da atividade Logística em França. As Atividades Internacionais viveram um ano de forte evolução com investimentos significativos destinados a reforçar a rede de transportes na Europa e na estruturação das atividades na Suíça alemã. As atividades marítimas, por sua vez, registaram um ligeiro aumento do tráfego de passageiros, sendo que a atividade de frete se manteve constante”, refere.

Importa ainda referir que durante 2018, o Grupo aumentou os seus fundos próprios, passando de 628 para 695 milhões de euros, e duplicou os seus investimentos que ascenderam a 350 milhões de euros em 2018 face a 180 milhões de euros no ano anterior.

Jean-Pierre Sancier, Diretor Geral do Grupo, sublinha que “2018 foi um bom ano em termos de desenvolvimento de negócio, mas um ano mais díspar em termos de resultado operacional. Perante um contexto de crescimento moderado em 2019, o Grupo decidiu centrar-se na melhoria da qualidade de serviço, na aceleração da sua estratégia de especialização e em continuar no reforço da sua rede de transportes na Europa”.

Liderança da companhia renova-se

A empresa revelou também esta semana que Francis Lemor e Jean-Pierre Sancier renunciaram à renovação dos seus cargos na STEF, abandonando a presidência do grupo e a direção geral, respetivamente.

A empresa tomou, assim, a decisão de juntar as posições de presidente e de diretor-geral, que passam a estar a cargo de Stanislas Lemor. Já Marc Vettard assumirá, por sua vez, o cargo de diretor-geral delegado a cargo das operações.