Portos

Trabalhadores das administrações portuárias ameaçam com greve

Estivadores convocam greve de quatro semanas ao trabalho suplementar

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações e Juntas Portuárias (SNTAJP) anunciou esta semana que convocou uma greve entre os dias 4 e 8 de junho. De acordo com o sindicato, em causa está a “estagnação na assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho”.

“O sindicato nacional dos trabalhadores das administrações portuárias, em nome e representação dos trabalhadores, declara greve à prestação de trabalho, a partir das 00:00 horas do dia 4 de junho de 2018 até às 24:00 do dia 8 de junho de 2018, em relação a todas e quaisquer operações e atividades em que devam ou possam intervir”, revela o comunicado emitido pelo SNTAJP.

“A greve ora decretada visa retomar a greve a que respeita o nosso aviso prévio de greve de março de 2018, suspensa a 28 de março, por solicitação da senhora ministra do Mar, com o objetivo de num prazo de quatro semanas resolver a situação com a tutela financeira. Incompreensivelmente, ultrapassados todos os prazos, a situação não foi desbloqueada”, diz ainda o documento.

Esta greve deverá abranger os trabalhadores das administrações portuárias dos portos de Viana do Castelo, Douro e Leixões, Aveiro, Figueira da Foz, Lisboa, Setúbal, Sines, Madeira e Açores, assim como os trabalhadores do terminal de granéis líquidos do Porto Sines.