Mobilidade

Uber quer transformar-se em marketplace de serviços de mobilidade

Uber duplica gratificação dada aos motoristas no Natal

Depois de anunciar um investimento de 20 milhões de euros num centro tecnológico europeu que se irá dedicar ao desenvolvimento de carros voadores, a Uber revela esta semana que a sua estratégia passa por transformar-se numa plataforma multimodal de acesso a vários meios de transporte, incluindo bicicletas, aluguer de automóveis e transportes públicos.

A notícia surge depois de a multinacional ter comprado a Jump, uma startup de bike sharing, e de ter assinado parcerias com a Getaround para a partilha e de aluguer de automóveis e com a Masabi, uma bilheteira virtual que reúne dezenas de empresas de transportes públicos.

A Uber quer, assim, afirmar-se como um marketplace para serviços de mobilidade de terceiros, beneficiando de transações que ocorram fora do seu ecossistema.

Recentemente, a empresa anunciou também que vai iniciar em breve um teste piloto para a entrega de comida com drones, em São Diego, nos Estados Unidos da América. Este teste faz parte de um programa de testes comerciais aprovado pelo Governo Federal dos EUA e que inclui ainda empresas como a Alphabet, a FedEx, a Intel e a Qualcomm.